Acesso ao principal conteúdo
Revista de Imprensa

Cimeira do Clima da ONU, Bioética ou Pensões em França

Áudio 04:19
Primeiras páginas dos jornais franceses de 24 de setembro de 2019
Primeiras páginas dos jornais franceses de 24 de setembro de 2019 RFI

Os jornais franceses continuam a estar dominadas por questões de sociedade como o debate sobre a bioética em França ou a cimeira do clima em Nova Iorque.Clima: cimeira da ONU foi um fracasso, titula, LE MONDE. A cimeira terminou ontem em Nova Iorque sem grandes resultados com os principais Estados a recusar fazer mais esforços. A China e a Europa reiteraram simplesmente os compromissos tomados por ocasião do acordo de Paris.Outros grandes poluídores nem se dignaram estar presentes. Representante do principal emissor do planeta, o presidente americano, Donald Trump, fez uma aparição fugaz, sem intervir no debate. Apenas 66 países essencialmente em desenvolvimento que pesam cerca de 6,8% das emissões de gás mundiais anunciaram novos compromissos. Mais de 500 milhões de dólares foram desbloqueados para preservar a floresta amazoniana, nota, LE MONDE.Clima, verde e próspero ao mesmo tempo, replica, LIBÉRATION. Economia verde é um mercado florescente, tendo empresários tido sucessos na reconciliação entre economia e ecologia. Quer nos transportes, quer na energia ou agricultura, estas iniciativas apostam na inovação e numa demanda crescente.Noutra passagem, LIBÉRATION, refere-se ao discurso de ontem de Greta Thunberg, na cimeira da ONU sobre a urgência climática. "Eu não deveria estar aqui mas na escola", lançou a activista sueca de 16 anos, por ocasião do seu discurso impregnado de raiva, denunciando, contos de fadas dos dirigentes imaturos do mundo."Roubaram-me a minha infância", lançou ainda a adolescente sueca acompanhada de outros 15 jovens, apresentando paralelamente uma queixa contra 5 países, entre os quais a França por violação dos seus direitos da criança.Por seu lado, o secretário geral da ONU, António Guterres, declarou que a "urgência climática é uma corrida que estamos a perder, mas que ainda pode ser ganha", acrescentou LIBÉRATION.Mudando de assunto, por cá, em França, LA CROIX, pergunta em título, pode-se crescer sem pai? O texto de lei de Bioética que estende a PMA, procriação medicamente assistida, a todas as mulheres começou hoje a ser analisado na Assembleia nacional.A mensagem que o texto envia a todas as crianças é que não é necessário ter um pai, destituído no psiquismo da criança, afirma o psinalista, Jean Pierre Winter.No seu editorial, da procriação à fabricação, LA CROIX, nota que as modificações contidas no texto podem parecer como pequenos passos. Mas aproximam-nos de maneira segura dos limiares muito mais preocupantes como a gestação por conta de outrém ou uma maior a selecção dos embriões, razão pela qual não podemos aprovar esse texto de lei, acrescenta o jornal católico, LA CROIX. Por seu lado, L'HUMANITÉ, titula, uma única garantia, baixa das pensões. Assim, a confederação sindical comunista, CGT, apelou hoje à greve, com outros sindicatos, contra o projecto de reforma que vai fragilizar as pensões.Esta primeira mobilização interprofissional contra a reforma das pensões, denuncia um governo que atiça a sua teia de divisão e de repressão  e que manda passear organizações sindicaias em discussões intermináveis ao mesmo tempo que vai adiando a reforma com medo que haja uma catilização da raiva social, acrescenta, L'HUMANITÉ.LE FIGARO, titula, Paris: Anne Hidalgo, tira proveito das divisões dos seus rivais. A presidente da câmara municipal de Paris lidera a sondagem Ipsos, no qudro das próximas eleições municipais.Ela beneficia da luta fratricida entre os dois candidatos macronistas, Benjamim Griveaux e Cédric Villani. Hidalgo, vai à frente, com 24% das intenções de voto, Griveaux com 19% e Villani com 14%/.A lista do Republicanos, da direita conservadora, encabeçada por Rachida Dati, surge com 13%, seguida do ecologista, david Belliard com 11%. 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.