Acesso ao principal conteúdo
Revista de Imprensa

Christophe Castaner na mira dos Parlamentares franceses

Áudio 04:38
Diários franceses desta quarta-feira 09 de Outubro.
Diários franceses desta quarta-feira 09 de Outubro. RFI/Marco Martins

Christophe Castaner está sob os holofotes no caso da morte dos quatro polícias há cerca de uma semana.No diário de esquerda ‘Libération’ as atenções estão viradas para o “Inquérito de todos os perigos” em torno do assassínio de quatro polícias há cerca de uma semana. As investigações continuam e deixam aparecer falhas como o facto de Mickaël Harpon ter em sua posse uma pen com várias informações, ou as anomalias no seio dos serviços policiais que põem em causa a polícia e Christophe Castaner, ministro do Interior. Na Assembleia Nacional os ataques têm sido constantes contra o Ministro do Interior que promete seguir as indicações da Comissão de Inquérito Parlamentar.No jornal conservador ‘Le Figaro’, a mesma tónica em torno de Christophe Castaner que está ‘sob pressão dos parlamentares’. Recorde-se que o Ministro do Interior afirmou por exemplo que não existiam nenhuns sinais de radicalização no comportamento do autor do drama, informação desmentida pela célula antiterrorista. De notar que pela terceira vez em um ano, Edouard Philippe, primeiro-ministro, afirmou que Christophe Castaner não se vai demitir.Os outros assuntos em destaque nos jornais franceses são os seguintes:No vespertino ‘Le Monde’ a manchete é em torno do Presidente norte-americano com o título: “Impeachment: Trump escolhe a prova de força”. Donald Trump afirmou na terça-feira que ele vai fazer obstrução aos pedidos que têm a ver com o processo de destituição lançado pelos Democratas. No entanto essa atitude está a virar-se contra o Presidente visto que a opinião pública, hostil ao impeachment, está agora a favor.No católico ‘La Croix’ o destaque vai para a Conferência de doadores em Lyon em França para o Fundo Mundial de luta contra a sida, a tuberculose e o paludismo. O objectivo é angariar 12,7 mil milhões de euros para fazer recuar estas três doenças. Desde 2002 o Fundo Mundial salvou 32 milhões de vidas. Na Costa do Marfim, por exemplo, a instituição oferece um tratamento gratuito aos doentes que têm uma das três doenças. Cerca de 200 000 seropositivos vivem normalmente e até desenvolvem projectos.No popular ‘Le Parisien’, o tema africano são as eleições presidenciais e legislativas que decorrem na Tunísia com o título: “Uma Assembleia por encontrar”. A segunda volta da eleição presidencial decorre no próximo domingo, mas os resultados das Legislativas ainda não foram anunciados. A apreensão de uma possível instabilidade política continua a crescer. Recorde-se que a Assembleia dos representantes do povo ainda não está constituída e para haver uma maioria, um partido ou vários partidos têm de juntar 109 deputados, no entanto se não houver nenhum entendimento, os tunisinos deverão ir novamente às urnas entre daqui a quatro a seis meses.O comunista ‘L’Humanité’ lembra uma história que ocorreu em 1961 com o título: “Quem matou o Secretário-Geral da ONU?”. Nesse ano, Dag Hammarskjöld morre num acidente de aviação no antigo Zaire, ele que esteve em visita oficial na actual cidade de Kinshasa com Joseph Mobutu. Desde 1953, no início do Mandato, o Sueco conhecido por Mister H, tentou opor-se ao apartheid, ele que era pacífico e que desejava maiores poderes para a ONU, para não estar dependente dos Estados Unidos. Em 1961, quando ele tenta resolver o problema do Sul do antigo Zaire, a província mineira de Katanga, o avião despenhou-se e os 16 ocupantes acabaram por morrer. Hoje a ONU vai decidir se continuam as investigações retomadas em 2016 com a pressão da Suécia. No entanto ainda há países como os Estados Unidos, a África do Sul e o Reino Unido que estão pouco abertos a colaborar.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.