Acesso ao principal conteúdo
Vida em França

Livro infantil de Vieira da Silva vai ser reeditado

Áudio 14:06
O pianista Bruno Belthoise e a editora Ana Lima. Paris, Outubro de 2019.
O pianista Bruno Belthoise e a editora Ana Lima. Paris, Outubro de 2019. RFI/Carina Branco

O livro infantil “Ko&Ko Les Deux Esquimaux”, da pintora de origem portuguesa Maria Helena Vieira da Silva e do escritor francês Pierre Guéguen, vai ser reeditado pelas éditions Chandeigne. A obra vai ter uma versão musical composta por Sérgio Azevedo, com narração da actriz Maria de Medeiros e interpretação dos músicos Bruno Belthoise (piano), Jean-Christophe Murer (clarinete) e Léo Belthoise (violino).

Publicidade

O livro “Ko&Ko Les Deux Esquimaux” vai regressar às livrarias francesas a 7 de Novembro, acompanhado por um CD com o conto musical, numa tiragem de 2.000 exemplares.

Publicado pela primeira vez em 1933 pela Galeria Jeanne Bucher [actual Galeria Jeanne Bucher Jaeger], em Paris, pouco tempo depois da chegada de Maria Helena Vieira da Silva a França, a obra conta a história de dois esquimós que vão à procura do sol. As personagens principais, Kô e Kô, podem ser recortadas para percorrerem as páginas de texto e ilustrações.

O músico Bruno Belthoise e a editora Ana Lima explicaram à RFI como se associaram para reeditar e musicar um livro há muito esgotado em França e o que faz desta obra “um livro para todas as mãos”, intemporal, poético e, agora, com "um sotaque de música francesa".

"Ko&Ko" são dois esquimós que vão à procura do sol e trata-se de "um livro que a Vieira da Silva fez pouco tempo depois de ter chegado a França", explica Ana Lima. "O livro conta a história de dois esquimós que vão à procura do sol e que, ao sair do iglu deles, vão encontrar uma sére de personagens: as focas, os pinguins, o pássaro de grande envergadura e uma série de personagens", descreve.

A obra tem 86 anos mas não ganhou uma ruga. Mantém-se moderna e "o grafismo não envelheceu", garante a editora que, em 2005, já tinha reeditado "Ko&Ko". Com o livro esgotado há muito, a nova reedição vai ser "uma obra completa, total" porque cruza literatura, pintura, ilustração, teatro e, agora, música.

A ideia de fazer um conto musical surgiu após dois músicos, em dois países, terem descoberto o livro, explica Bruno Belthoise.

"Foi o meu encontro com o livro, em Paris, e também, na mesma altura, o Sérgio [Azevedo] encontrou o livro na livraria do Museu do Fado. Disse-me que gostaria de fazer alguma coisa, que 'este livro é muito giro, muito especial e que gostaria de fazer uma música' (porque o Sérgio conhecia o meu interesse pelos contos musicais). Surgiu, então, a ideia de fazer uma partitura para piano, clarinete e violino, com narração", recorda.

Para dar voz à história, foi convidada a actriz Maria de Medeiros que gravou uma versão em francês e outra em português na eventualidade de uma futura edição em português. A composição tem "um sotaque de música francesa", admite Bruno Belthoise, apontando uma influência de Francis Poulenc e Olivier Messiaen.

Em Janeiro, a Maison de La Poésie , em Paris, deverá ser palco de um espectáculo em torno de "Ko&Ko", com a voz de Maria de Medeiros e o piano, clarinete e violino de Bruno Belthoise, Jean-Christophe Murer e Léo Belthoise.

Oiça a reportagem clicando na imagem principal.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.