Acesso ao principal conteúdo
Revista de Imprensa

Religião muçulmana, Política e violência contra mesquitas em França

Áudio 03:59
Primeiras páginas dos jornais franceses 30 de outubro de 2019
Primeiras páginas dos jornais franceses 30 de outubro de 2019 RFI

As primeiras páginas dos jornais franceses estão dominadas por questões relacionadas com a religião muçulmana e violência contra mesquitas em França.Preocupação dos muçulmanos de França, titula, LE MONDE. Para os responsáveis associativos, representantes da comunidade muçulmana e os fiéis, o ataque de Bayonne não é uma surpresa. Depois de ter tentado incendiar a mesquita, Claude Sinké, feriu duas pessoas e declarou à polícia de investigação que quiz vingar o incêndio da catedral de Nossa Senhora de Paris.Um grande número de muçulmanos sublinha o clima muito tenso nascido da polémica sobre o véu e do discurso político que alimentam o extremismo. Ontem, o Senado votou o projecto de lei dos Republicanos sobre a proíbição de sinais religiosos para os acompanhantes das crianças durante férias escolares.O ministro da educação Blanquer considerou a iniciativa contraproducente o que traduz o embaraço do executivo ultrapassado por um debate que lançou, nota, LE MONDE.Por seu lado, L'HUMANITÉ, titula, atentado de Bayonne, ódio racista que passa ao acto. Os múltiplos discursos de estigmatização de muçulmanos armaram o braço de um antigo candidato da Frente Nacional. O perfil de Claude Sinké não deixa dúvidas sobre suas motivações políticas, admirador do escritor e jornalista Zemmour e um ex-da Frente Nacional, ele afirmou ter querido vingar o incêndio de Notre Dame, um gesto criminoso que intervém num clima político sufocante, acrescenta, L'HUMANITÉ.Ataque de Bayonne, clima de ódio, titula, LIBÉRATION. O ataque duma mesquita por um reformado da extrema direita surge numa altura em que o debate nacional é tenso e muitas vezes dirigido contra os muçulmanos.O atirador que feriu duas pessoas era conhecido em Bayonne pelas suas diatribes xenófobos e odiosos. Embaraçados pelo passado do suspeito do ataque, candidato em 2015 nas eleições locais pela Frente nacional, os actuais dirigentes da União Nacional apelam a recusar qualquer tipo de amálgamas, nota, LIBÉRATION.Mudando de assunto, LE FIGARO, titula, França mobiliza-se a favor duma inteligência artificial ética. Paris recebe durante dois dias investigadores do mundo inteiro com a ambição de participar nesta revolução tecnológica de maneira responsável.França deseja tornar-se na locomotiva europeia desta nova tecnológica que revoluciona  a vida humana, defendendo um programa importante de investimentos e a definição de regras éticas para enquadrar a inovação, sublinha, LE FIGARO.Que adopção no futuro?, pergunta, LA CROIX. Um relatório remetido ao secretário de Estado da protecção da infância, esboça o que poderá ser a futura reforma da adopção. Actualmente 2 mil crianças nascidas em França são adoptáveis, mas o ano passado apenas 982 foram adoptadas. As outras ficam até à maioridade à guarda da assistência social para a infância, acrescenta, LA CROIX.Na actualidade internacional, LE MONDE, dá destaque ao Líbano e a demissão de Saad Hariri, que agrava a crise libanesa. O primeiro ministro lança a toalha para o chão após duas semanas de protestos. Continua a fazer a gestão corrente mas a falta de pretendes credíveis para o seu posto poderá obrigá-lo a ficar no poder.Enfim, em relação à Africa, LA CROIX, destaca, famílias de detidos durante manifestações de há 3 anos no Marrocos que querem continuar o movimento. Um movimento de reivindicações socias que sacudiu a região do Rif, no norte do Marrocos, em 2016 e 2017, sublinha, LA CROIX.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.