Acesso ao principal conteúdo
Saúde/Obesidade

Mundo tem 500 milhões de pessoas obesas

Os problemas de obesidade e excesso de peso não são mais exclusivos dos países ricos.
Os problemas de obesidade e excesso de peso não são mais exclusivos dos países ricos. Flickr/ colros

A obesidade quase dobrou nos últimos 30 anos e atinge, hoje, 500 milhões de pessoas em todo o mundo, principalmente mulheres. Segundo estudo publicado pela prestigiosa revista The Lancet, o campeão da obesidade entre os países ricos são os Estados Unidos, com um índice de massa corporal superior a 28%, seguidos pela Nova Zelândia. O Japão é o país com o maior número de magros no mundo.

Publicidade

O estudo da revista científica britânica The Lancet  foi feito por pesquisadores do Imperial College de Londres e do Instituto de Pesquisas sobre População e Saúde de Hamilton, no Canadá. Entre 1980 e 2008, eles estudaram a progressão do excesso de peso em pessoas com mais de 20 anos.

Além de constatar que a obsidade quase dobrou, os cientistas também concluíram que 1 bilhão e 460 milhões de pessoas em todo o mundo têm problemas de sobrepeso. Outra conclusão do estudo é que os problemas de obesidade e excesso de peso não são mais exclusivos dos países ricos. O problema é cada vez mais frequente em países pobres ou em desenvolvimento.

Os dados indicam, ainda, que as mulheres suíças são as mais magras da Europa, seguidas pelas francesas e italianas. Entre os homens, os franceses são os mais magros, seguidos pelos habitantes da Groenlândia, Dinamarca e Holanda.

No Brasil, pesquisa publicada em agosto do ano passado pelo IBGE indicava que o sobrepeso atingia 48% das mulheres e 50,1% dos homens com idade acima de 20 anos. Se o Brasil mantiver o ritmo de crescimento do número de pessoas com excesso de peso, em dez anos elas serão 30% da população, padrão similar ao encontrado nos Estados Unidos, onde a obesidade é um problema de saúde pública.

Segundo a Organização Mundial de Saúde, sobrepeso significa um índice de massa corporal superior a 25%. No caso da obesidade, esse índice ultrapassa 30%.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.