Acesso ao principal conteúdo
França/Eleições

26% dos franceses querem Marine Le Pen no segundo turno das presidenciais

A candidata da Frente Nacional à eleição presidencial francesa, Marine Le Pen, em encontro com a imprensa.
A candidata da Frente Nacional à eleição presidencial francesa, Marine Le Pen, em encontro com a imprensa. REUTERS/Charles Platiau

A três meses das eleições presidenciais na França, a candidata de extrema-direita, Marine Le Pen, apesar de estar longe de ser uma unanimidade, ganha espaço entre os eleitores franceses. Segundo uma sondagem do instituto TNS/Sofrès, 31% dos franceses dizem estar de acordo com as ideias do partido Frente Nacional. O resultado representa uma alta de 9 pontos percentuais em relação a janeiro do ano passado.

Publicidade

Os dados da pesquisa são um recorde para o partido de extrema-direita francês. Desde a publicação desse modelo de sondagem, em 1984, os números nunca haviam sido tão favoráveis para a Frente Nacional (FN). Mas o partido ainda tem uma alta taxa de rejeição. À questão “Você deseja que Marine Le Pen esteja no segundo turno?”, 67% dos entrevistados disseram “não”, 26% disseram “sim” e 7% “não têm opinião”.

A percepção do eleitorado em relação à orientação política de Marine Le Pen está dividida. Para 45% dos franceses, ela representa “uma extrema-direita nacionalista e xenófoba”. Mas 41% veem na representante da Frente Nacional uma “patriota de direita que defende valores tradicionais”. A pesquisa ouviu 1.000 franceses de mais de 18 anos entre os dias 6 e 9 de janeiro.

Nesta quinta-feira, Le Pen apresentou os detalhes do seu programa eleitoral na área econômica. Fiel ao seu discurso contra a União Europeia e contra a imigração, ela propôs o abandono do euro e o retorno do franco francês e o aumento de barreiras protecionistas. Ao longo de cinco anos, estima, as medidas gerariam uma economia da 200 bilhões de euros.

Quanto à uma “redução drástica” na imigração, Le Pen calcula que ela economizaria 40 bilhões de euros também no prazo de cinco anos. “Minha ambição é a de desendividar a França”, declarou. Jean-Christophe Cambadélis, secretário nacional do Partido Socialista reagiu às declarações. “O projeto de Marine Le Pen agravaria o declínio da França produzido por Nicolas Sarkozy.”

Apesar de se apresentar como candidata à eleição presidencial, Marine Le Pen ainda precisa recolher 500 assinaturas de prefeitos franceses apoiando a sua candidatura. Os formulários devem ser entregues ao Conselho Constitucional até o dia 16 de março.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.