Acesso ao principal conteúdo
Morte/astronauta

Morre Neil Armstrong, o primeiro homem a pisar na Lua

O astronauta americano Neil Armstrong, durante a célebre missão Apollo 11, em 1969.
O astronauta americano Neil Armstrong, durante a célebre missão Apollo 11, em 1969. REUTERS/NASA

O astronauta americano Neil Armstrong morreu neste sábado devido a complicações cardiovasculares, em Cincinnati, nos Estados Unidos. Ele foi o primeiro homem a pisar na Lua, em 1969, como comandante da célebre missão Apollo 11. Armstrong havia recentemente se submetido a uma cirurgia no coração, dias depois de ter completado 82 anos. 

Publicidade

“A todos os que se perguntam como homenageá-lo, nós temos um simples pedido. Honre seu exemplo de trabalho, conquista e modéstia e a próxima vez que vocês caminharem durante uma noite clara e que virem a Lua, sorriam, pensem em Neil Armstrong e lhe dêem uma ‘piscadinha’ de olho”, sugeriu a família por meio de um comunicado.

Fascinado por aviões desde jovem, Neil Alden Armstrong era piloto de teste até se integrar à Agência Espacial Americana (Nasa) em 1962. Como comandante da missão Apollo 11, ele foi o primeiro homem a pisar na Lua, aos 38 anos, no dia 20 de julho de 1969, ao lado de seu co-piloto Buzz Aldrin. Nesta ocasião, ele pronunciou uma frase que entrou para a História: “Esse é um pequeno passo para o homem, mas um grande passo para a humanidade”.

Logo após a Apollo 11, ele finalizou sua carreira de astronauta e foi nomeado em 1970 administrador adjunto da aeronáutica na Nasa. Um ano depois, ele deixou a agência para ensinar tecnologia aeroespacial na Universidade de Cincinnati.

Interrogado certa vez pela CBS sobre a missão histórica, Armstrong brincou: “É um lugar interessante. Eu o recomendo”.

Uma das últimas aparições públicas do astronauta aconteceu em 2009. Armstrong, Aldrin e o terceiro membro da equipe da Apollo 11, Michael Collins, se reuniram no Museu do Ar e do Espaço, em Washington, para apoiar as futuras missões espaciais a Marte.

"Herói americano"

Collins se pronunciou hoje através de um comunicado. “Ele era o melhor. Vai me fazer muita falta”, disse. A Nasa também apresentou suas condolências por meio de um comunicado.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, declarou estar “profundamente triste” e saudou a memória do astronauta: “Neil está entre os maiores heróis americanos, não somente desta época, mas de todos os tempos”.

Já o candidato republicano à presidência, Mitt Romney, afirmou que “a lua chorava por seu primeiro filho terrestre”.

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.