Acesso ao principal conteúdo
Afeganistão/CIA

Presidente do Afeganistão reconhece suborno de políticos afegãos pela CIA

O presidente do Afeganistão, (E) Hamid Karzai, e seu homólogo finlandês, Sauli Niinisto, durante encontro desta segunda-feira em Helsinki.
O presidente do Afeganistão, (E) Hamid Karzai, e seu homólogo finlandês, Sauli Niinisto, durante encontro desta segunda-feira em Helsinki. REUTERS/Heikki Saukkomaa/Lehtikuva

O presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, confirmou na tarde desta segunda-feira, dia 28 de abril, que a CIA, a agência de inteligência americana, comandou por uma década um sistema de pagamentos mensais de propinas a políticos e membros da cúpula do governo do Afeganistão (CNS). A denúncia foi feita pelo jornal americano The New York Times na edição de hoje.

Publicidade

“Sim, o CNS recebeu dinheiro da CIA nos últimos dez anos. Os valores não são muito importantes”, declarou. O presidente reiterou que as quantias foram utilizadas em diferentes âmbitos: efetuar cirurgias, ajudar doentes e feridos, aluguel de imóveis, entre outros. “Este apoio nos foi muito útil e nós agradecemos os americanos”, disse de Helsinki, na Finlândia, onde faz uma visita.

O esquema, chamado de “dinheiro fantasma” por um ex-chefe de gabinete do presidente afegão Hamid Karzai, custou dezenas de milhões de dólares. De acordo com o New York Times, não há provas de que o “mensalão afegão” tenha beneficiado o presidente Karzai.

Por pelo menos uma década, as dezenas de milhões de dólares distribuídos pela CIA chegavam ao Afeganistão em malas, mochilas e até sacos plásticos, o que levou Khalil Roman, ex-diretor do gabinete do presidente Hamid Karzai, a batizar o esquema de "dinheiro fantasma".

Em declarações ao New York Times, ele disse que o dinheiro entrava e saía do país de forma secreta e tinha como objetivo assegurar a influência da agência de inteligência americana no país. Segundo uma fonte do governo americano entrevistada pelo jornal, os Estados Unidos foram o maior foco de corrupção do Afeganistão nos últimos anos.

A enxurrada de dólares da CIA deveria pagar o apoio dos políticos e da alta cúpula do governo afegão à estratégia americana no país, mas os pagamentos mensais efetuados pela CIA também chegaram às mãos dos senhores da guerra locais ligados ao tráfico de droga e inclusive dos talibãs. “Além disso, há poucos indícios que esses pagamentos tenham comprador a influência que a CIA desejava. Ao contrário, segundo alguns membros do governo americano, o dinheiro alimentou a corrução e o poder dos senhores da guerra, minando a estratégia de Washington de deixar o Afeganistão”, escreve o jornal.

Segundo a reportagem do New York Times, não há provas de que o presidente Karzai tenha se aproveitado pessoalmente do dinheiro. A CIA não quis comentar sobre as acusações sobre o suposto o esquema de pagamentos ilícitos que teria começado no início da guerra em 2001.

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.