Acesso ao principal conteúdo
Líbano/atentado

Líbano reforça segurança para enterrar vítimas de atentado em Trípoli

Um duplo atentado matou pelo menos 45 pessoas em Trípoli, no Líbano.
Um duplo atentado matou pelo menos 45 pessoas em Trípoli, no Líbano. REUTERS/Omar Ibrahim

Pelo menos 45 pessoas morreram e cerca de 280 permanecem hospitalizadas em decorrência do duplo atentado com carros-bomba contra duas mesquitas sunitas em Trípoli, capital do norte do Líbano, que aconteceu na sexta-feira. As medidas de segurança foram reforçadas para os enterros programados para este sábado. Os ataques não foram reivindicados.

Publicidade

Foi o atentado mais sangrento desde o final da guerra civil no país, que durou de 1975 a 1990. O governo declarou luto nacional em “sinal de solidariedade com as famílias das vítimas e de repúdio ao terrorismo”.

Os ataques acontecem uma semana após a explosão de um com carro-bomba que matou 27 pessoas em Rueis, subúrbio de Beirute e bastião do movimento xiita libanês Hezbollah, que combate ao lado das tropas do presidente sírio, Bashar al-Assad.

Neste sábado, o exército libanês multiplicou as patrulhas em Trípoli, sob o temor de novos ataques. Policiais à paisana vigiavam mesquitas, partidos políticos, residências de personalidades políticas e religiosas. Soldados a pé e carros blindados circulavam pelas ruas da cidade portuária. Os carros suspeitos eram parados e vasculhados.

Cresce o temor de que a escalada da violência possa as tensões sectárias no Líbano, já dividido em relação aos conflitos na vizinha Síria.
 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.