Acesso ao principal conteúdo
Imprensa

Extrema-direita é vista como ameaça em eleições municipais na França

Marine Le Pen, diante de seus militantes, em um discurso no dia 1° de Maio.
Marine Le Pen, diante de seus militantes, em um discurso no dia 1° de Maio. Reuters/Charles Platiau

Os jornais franceses hoje dão grande destaque às eleições municipais na França que acontecem em 2014. As últimas sondagens apontam que o Front National, partido de extrema-direita, tem ganhado espaço nas pesquisas de opinião e essa situação é a manchete de hoje do Libération.

Publicidade

O Libération já coloca na capa que o Front National, Frente Nacional em português, é um veneno que toma conta das eleições municipais. O jornal lembra que, historicamente, o partido só se preocupava com os pleitos nacionais, mas, agora, sob o comando de Marine Le Pen, o partido aposta no eleitorado das cidades francesas. Com o desemprego em alta e com um certo desencanto político com a esquerda e a direita na França, os eleitores têm se aproximado das propostas do partido de extrema-direita. Uma pesquisa recente mostra que 34% dos franceses se dizem próximos das ideias de Marine Le Pen.

O assunto também é a capa da edição desta sexta-feira. O jornal avalia que o crescimento do Front National pode desestabilizar o Partido Socialista e o UMP, partido do ex-presidente Nicolas Sarkozy. O diário inclusive antecipa que, em caso de um segundo turno com o partido de extrema-diretia, os socialistas e os representantes do UMP teriam que se aliar para evitar que o prtido de Marine Le Pen chegue ao poder.

O jornal conservador Le Figaro arrisca projeções do desempenho do Front National nas urnas no ano que vem. O jornal estima que o partido pode se tornar mais forte em cidades importantes. Em 2008, em Paris, o partido ficou com 3,17%. Para 2014, o jornal projeta que ele possa chegar a 8%. Longe, é claro, dos principais partidos. Mas é uma prova de que o eleitorado francês está se deixando seduzir pelo partido.
 

Celibato

Curiosamente não é o jornal católico La Croix que traz um assunto religioso na manchete, mas, sim o jornal popular Aujourd'hui en France que fala da polêmica em torno do celibato dos padres. O jornal traz na manchete a declaração do número 2 do Vaticano, o Monsenhor Pietro Parolin que afirma que o celibato dos padres católicos não é um dogma e que não deveria ser um tabu.

A regra foi adotada pela igreja católica no século 12 e se tornou uma das principais tradições da igreja. Mas, o monsenhor insiste que duscutir o assunto agora não deve ser considerado nem uma heresia nem um escândalo. O Monsenhor Parolin é conhecido por ser um reformador e muitos se questionam se as suas declarações estão alonhadas com as opiniões do Papa Francisco, que também se mostra aberto a algumas mudanças na Igreja.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.