Acesso ao principal conteúdo
Imprensa

Franceses querem novo governo, diz pesquisa

O presidente François Hollande, em primeiro plano, e o primeiro-ministro Jean-Marc Ayrault.
O presidente François Hollande, em primeiro plano, e o primeiro-ministro Jean-Marc Ayrault. REUTERS/Christian Hartmann

Mais uma vez, a capa dos jornais franceses destaca a insatisfação da população com o presidente François Hollande e sua equipe. E quem vai mais longe nessa crítica é o jornal Le Figaro com uma pesquisa que aponta que parte dos franceses quer a dissolução do Parlamento.

Publicidade

Segundo a manchete do jornal Le Figaro, 39% dos franceses querem a dissolução do Parlamento e a convocação de novas eleições legislativas. A pesquisa, feita a pedido do jornal, revela ainda que 73% dos franceses acreditam que a situação do país piorou desde maio de 2012. Outro dado: 88% duvidam da capacidade do presidente François Hollande de conseguir manter a França unida.

Mas, de acordo com a mesma pesquisa, um terço dos franceses se contentaria apenas com uma reforma ministerial e com a substituição do premiê Jean-Marc Ayrault. O nome preferido para o cargo é o do atual minsitro do Interior, Manuel Valls, que já é o mais popular do governo e também rerpesenta a ala mais conservadora do partido socialista.

Uma manchete com esse tom ácido no Figaro, que é um jornal de direita, não chega a ser surpreendente, mas o Libération, de esquerda, também destaca esse mal-estar social. Logo na capa, o Libé coloca a foto de manifestantes cabisbaixos que protestaram ontem nas ruas contra as mudanças no calendário das escolas.

Com o nova legislação imposta pelo governo, os alunos das escolas primárias passarão a estudar quatro dias e meio por semana a partir do ano que vem. Atualmente, os alunos do primário estudam quatro vezes por semana com uma carga de aulas de seis horas por dia. Às quarta-feiras, o dia é  livre. Com a modificação, eles terão que estudar às quartas-feiras de manhã. Professores e pais de alunos são contra as mudanças e reclamam de não terem sido ouvidos pelo governo.

Ontem, houve greve dos professores e eles prometem continuar a pressão. Em algumas cidades, os prefeitos incitam à desobediência civil e dizem que não vão cumprir esse novo calendário escolar.  Para especialistas ouvidos pelo jornal, o partido socialista perdeu a influência entre os professores e subestimou a insatisfação que essa nova lei poderia gerar.

Copa do Mundo

Já no Aujourd'hui en France o destaque é a seleção francesa de futebol que enfrenta hoje a Ucrânia por uma vaga na Copa do Mundo de 2014. Com a manchete,  "Levem-nos pro Brasil", o jornal diz que, nesses tempos difíceis, os jogadores podem fazer os franceses sonharem.

O jornal afirma que todos contam com os "bleus" para tornarem a Copa do Mundo uma realidade, mas o jornal faz um alerta. A Ucrânia é considerada um advsersário mais fraco que a França, mas, em 2009, a França enfrentou uma situação semelhante contra a Irlanda. Na ocasião, também numa repescagem, os franceses suaram para se classificar. Agora, o diário popular gostaria de uma vitória menos sofrida.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.