Acesso ao principal conteúdo
Nuclear/Fukushima

Tepco inicia perigosa remoção de combustível radioativo de Fukushima

Começou nesta segunda-feira, dia 18 de novembro, a operação de retirada de combustível radioativo do reator número 4 de Fukushima.
Começou nesta segunda-feira, dia 18 de novembro, a operação de retirada de combustível radioativo do reator número 4 de Fukushima. REUTERS/Tokyo Electric Power Co/Handout via Reuters

A Tepco, companhia que administra a central japonesa de Fukushima, informou nesta segunda-feira, dia 18 de novembro, ter iniciado a retirada de 400 toneladas de combustível altamente radioativo de um reator. A primeira etapa desta delicada operação será realizada durante um ano, se tudo correr como previsto. O processo completo deve durar oito anos.

Publicidade

Em uma coletiva de imprensa, a Tepco anunciou ter extraído um bastão de combustível para sua consecutiva remoção. O mesmo foi inserido em uma caixa de aço de 5,5 metros de altura e 2,1 metros de diâmetro e levado para o resfriamento dentro de uma piscina.

A empresa pretende remover 22 dos 202 bastões de combustível até amanhã. A caixa de aço, quando estiver completamente preenchida pelo material radioativo, deverá pesar 91 toneladas, e será finalmente removida da piscina de resfriamento. Em seguida, o detrito será depositado em outra piscina, mais protegida e distante do reator 4.

A Tepco alerta que a operação está sendo realizada de forma lenta, a fim de dar prioridade à segurança. O excesso de precaução não é à toa: o edifício do reator número 4 foi parcialmente destruído por uma explosão de hidrogênio alguns dias depois da devastação de Fukushima pelo tsunami de 11 de março de 2011.

“Logo que esta primeira fase for finalizada, a Tepco fará uma pausa para analisar as tarefas e avaliar se há melhorias a serem implementadas antes de dar seqüência às fases seguintes”, anunciou um porta-voz da companhia. Já o porta-voz do governo japonês, Yoshihide Suga, ressaltou que a remoção do material acontecerá em toda segurança, de forma a não causar problemas a mais para os habitantes da região.
 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.