Acesso ao principal conteúdo
Greve/Alemanha

Greve da Lufthansa afeta voos no Rio de Janeiro e em São Paulo

Greve da companhia aérea Lufthansa cancelou mais de 1,5 mil voos em apenas dois dias.
Greve da companhia aérea Lufthansa cancelou mais de 1,5 mil voos em apenas dois dias. REUTERS/Wolfgang Rattay

A greve dos pilotos da companhia aérea alemã Lufthansa, a oitava paralisação vivida pela empresa só neste ano, entra nesta terça-feira (21) em seu segundo dia. Mais de 1,5 mil voos foram cancelados, entre eles os que fariam o trajeto de Frankfurt e Munique ao Rio de Janeiro e a São Paulo.

Publicidade

Na segunda-feira, só os voos de curta e média distância haviam sido afetados pela paralisação, mas o movimento decidiu estender a greve para os trajetos de longa distância. Vários voos com chegadas e partidas de São Paulo e Rio de Janeiro foram cancelados.

De acordo com o site da Lufthansa, o voo LH507, que faria hoje o trajeto São Paulo-Frankfurt, foi anulado, bem como o LH505, que faria amanhã (23) o trajeto entre São Paulo e Munique. O LH506, de Frankfurt com destino a São Paulo, e o LH504, que partiria amanhã de Munique até São Paulo, também foram cancelados.

Também não partirão hoje o voo LH501, do Rio de Janeiro para Frankfurt, e amanhã o LH500, de Frankfurt para o Rio de Janeiro.

Até o momento, 1.511 voos foram cancelados, a maioria deles com partidas e chegadas de Frankfurt e Munique. Cerca de 166 mil passageiros foram prejudicados pela paralisação.

Aposentadoria antecipada

A greve está inicialmente prevista para durar até a meia-noite desta terça-feira, no horário local (20h pelo horário de Brasília), mas o sindicato Vereinigung Cockpit (VC), que representa 5,4 mil pilotos da Lufthansa, não exclui prolongá-la pelos próximos dias. De acordo com o VC, a condição para que os pilotos voltem a trabalhar normalmente é chegar a um acordo com a direção sobre as condições da aposentadoria antecipada.

O sindicato quer conservar a regulamentação que permite aos pilotos se aposentar aos 55 anos recebendo 60% de seus salários até chegar à aposentadoria plena aos 65 anos. A Lufthansa, por sua vez, quer manter a regra apenas para os pilotos contratados antes de 2014, aumentando a idade de aposentadoria antecipada para os novos empregados.

Greve dos condutores

Em paralelo a este movimento, os condutores de trem travam um braço de ferro com a direção da companhia férrea alemã Deutsche Bahn sobre o aumento dos salários, o tempo de trabalho e questões sobre a representatividade do sindicato. Insatisfeitos, os condutores realizaram diversas paralisações nas últimas semanas. A última delas, no último fim de semana, resultou em graves perturbações no tráfego férreo do país.

Em uma entrevista publicada no jornal alemão Bild nesta terça-feira, o ministro dos Transportes, Alexander Dobrindt, acredita que o número de greves no setor causa sérios danos à economia da Alemanha. “O transporte é o sistema nervoso de nosso país”, disse, avaliando que uma paralisação prolongada dos pilotos e dos condutores pode quebrar a economia alemã.

selfpromo.newsletter.titleselfpromo.newsletter.text

selfpromo.app.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.