Acesso ao principal conteúdo

O discurso de Hollande em defesa da imigração divide imprensa francesa

O presidente francês François Hollande inaugurou oficialmente nesta segunda-feira (15) o Museu da Imigração.
O presidente francês François Hollande inaugurou oficialmente nesta segunda-feira (15) o Museu da Imigração. REUTERS/Yoan Valat/Pool

O discurso do presidente francês, François Hollande, sobre a imigração é um dos principais destaques da imprensa francesa desta terça-feira (16). Ele falou ontem na inauguração do Museu dedicado aos imigrantes em Paris e lembrou que um quarto da população francesa é fruto da imigração. A maioria dos jornais elogiou a investida de Hollande nesse terreno de predileção da direita e da extrema-direita. Mas a imprensa conservadora diz que o discurso do presidente “não responde às principais questões” que preocupam a população.

Publicidade

Na opinião de Libération, François Hollande defendeu uma França para todos e criticou a política do medo que existe no país. Para o jornal progressista, o discurso do presidente francês foi exemplar. Hollande “se lembrou dos imigrantes e se reapropriou do tema que ele tinha colocado de lado desde 2012, deixando o campo livre para a direita e a extrema-direita francesas”.

Foi o discurso mais à esquerda do presidente socialista desde o início de seu mandato, garante Libé. A França é um país de imigração há dois séculos. Em nome da igualdade, Hollande defendeu um país para todos e se diferenciou, assim, dos líderes da direita, Nicolas Sarkozy, e da extrema-direita, Marine Le Pen.

Les Echos ilustra a diferença do discurso de Hollande em relação aos outros políticos com uma frase de Nicolas Sarkozy: "a imigração ameaça nossa maneira de viver". O diário econômico escreve que ao contrário de Sarkozy, o atual presidente francês acha que a imigração “é uma chance” para o país e que a “integração dos imigrantes vai determinar o destino nacional.”

Críticas ao discurso presidencial

Le Parisien diz que Hollande fez um belo discurso contra a discriminação dos imigrantes, mas ressaltou que o presidente não anunciou nenhuma medida concreta sobre o tema. Por exemplo, sobre o direito de voto aos estrangeiros, que é uma promessa de campanha, ele fez o que se chama na França de “serviço mínimo”, ao “se contentar apenas em dizer que é favorável”. Apesar do elogio à participação dos imigrantes na história francesa, o jornal informa ainda que o presidente lembrou a necessidade de se manter uma política migratória no país.

Le Figaro viu no discurso de Hollande sobre a imigração uma tentativa de “remobilizar a esquerda”. O presidente “reafirmou os valores defendidos pelo Partido Socialista diante de uma sociedade cada dia mais conservadora, onde a Frente Nacional obteve 25% dos votos nas eleições europeias e o tema de imigração ilegal preocupa muito o eleitorado popular”, resume o jornal.

Mas o discurso do presidente “não responde às principais questões” que preocupam a população, escreve o jornal em editorial. O desejo de Hollande de abordar a imigração de uma maneira serena será inútil se ele não conseguir recuperar a economia do país. Esse é o pré-requisito essencial para a reconciliação de uma sociedade dividida, conclui o editorial.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.