Acesso ao principal conteúdo
Estado Islâmico/Terrorismo

Grupo Estado Islâmico diz ter decapitado jornalista japonês

O jornalista japonês Kenji Goto durante reportagem em Kobane. O grupo EStado Islâmico diz ter decapitado o refém.
O jornalista japonês Kenji Goto durante reportagem em Kobane. O grupo EStado Islâmico diz ter decapitado o refém. Reuters

O grupo Estado Islâmico anunciou neste sábado (31) o assassinato do jornalista japonês Kenji Goto. Os terroristas deram um ultimato que terminou na quinta-feira passada. No domingo passado, o governo japonês declarou que era “provavelmente autêntico” um vídeo do grupo ultrarradical Estado Islâmico que anunciava de Haruna Yukawa, outro refém japonês nas mãos do grupo.

Publicidade

Um vídeo divulgado pelos terroristas revela imagens do assassinato de Kenji Goto de 47 anos. O jornalista japonês aparece com um macacão laranja e encapuzado. Ao lado dele, aparece um membro do grupo terrorista vestido de preto com uma faca apontada para o seu pescoço. O homem culpa as autoridades japonesas pela morte do refém.

Segundo a rede de televisão CNN, a gravação de 1 minuto e 7 segundos foi divulgada pelo canal Al Furqan Media, que é próximo dos terroristas. A autenticidade do vídeo ainda não foi confirmada pelas autoridades japonesas.

O grupo Estado Islâmico ameaçava matar o jornalista japonês caso a terrorista iraquiana Sajida al Rishawi, que está presa na Jordânia, não fosse libertada. O grupo também mantém como refém o jordaniano Muath al-Kaseasbeh, mas, na gravação deste sábado, os terroristas não mencionaram qual será o desfecho do sequestro do piloto.

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.