Acesso ao principal conteúdo
Japão/ meio ambiente

Japão joga fora carne de baleia contaminada

Caça a baleias para consumo é autorizada na Noruega e na Finlândia.
Caça a baleias para consumo é autorizada na Noruega e na Finlândia. Reuters

O governo do Japão confirmou nesta quarta-feira (11) ter sido obrigado a jogar fora toneladas de carne de baleia importadas da Noruega, depois de verificar que a quantidade de pesticidas encontrados no produto era duas vezes superior ao nível autorizado. Os japoneses são um dos poucos consumidores de carne de baleia no mundo.

Publicidade

Organizações ecologistas já haviam denunciado o desperdício da carne, ocorrido no ano passado. Uma fonte do Ministério da Saúde do país confirmou a informação. “Estamos fazendo verificações detalhadas, porque as baleias têm tendência a acumular poluentes do ambiente, como pesticidas e metais pesados”, explicou a fonte, à agência de notícias AFP.

Testes realizados na carne proveniente de países escandinavos revelaram que, em duas ocasiões, havia 0,2 ppm (partículas por milhão) de aldrina e dieldrina, além de 0,07 ppm de clordano. Os níveis autorizados no Japão são de, respectivamente, 0,1 ppm e 0,05 ppm. Nos dois casos, as autoridades japonesas ordenaram a destruição dos produtos.

Substâncias perigosas

Essas substâncias químicas são proibidas ou são alvo de rígidas regulamentações nos países desenvolvidos. Elas permanecem por um longo período no meio ambiente, se acumulam nos tecidos adiposos e são consideradas extremamente perigosas para a saúde.

Apesar dos incidentes, o Japão não suspendeu nem reduziu a importação de carne da Noruega. “Há muito poucos países que consomem carne de baleia, por isso o comércio é limitado entre esses poucos lugares”, afirmou o representante do ministério.

Fim da caça

A situação foi denunciada pela Agência de Investigação Ambiental e a ONG Animal Westfare Institute. As entidades aproveitaram a ocasião para voltar a pedir o fim da caça de baleias, que, de acordo com elas, “coloca a saúde dos consumidores em perigo e não tem mais razões para existir”.

As organizações explicam que a demanda norueguesa por carne de baleia caiu nos últimos anos. Para compensar as perdas, o governo de Oslo e a indústria baleeira concedem subsídios à pesquisa, o desenvolvimento e a comercialização de novos produtos derivados do animal.

A Noruega e a Islândia são os únicos países do mundo que autorizam a caça dos cetáceos. O Japão também permite a prática, oficialmente para pesquisas científicas. Entretanto, a maior parte da carne restante do animal acaba disponibilizada para a venda nos mercados japoneses. Na temporada de 2014-2015, o país é alvo de uma moratória da caça na Antártica, decidida pela Corte Internacional de Justiça.

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.