Acesso ao principal conteúdo

Jornais franceses se preocupam com o futuro da Grécia na União Europeia

Mulher retira dinheiro em caixa eletrônico do banco Piraeus, nesta sexta-feira (19), em Atenas.
Mulher retira dinheiro em caixa eletrônico do banco Piraeus, nesta sexta-feira (19), em Atenas. REUTERS/Alkis Konstantinidis

"Ameaçados pela falência, os gregos se preparam para o pior", estampa em sua capa o jornal Le Figaro neste sábado (20). O diário destaca que, faltando apenas três dias para uma reunião crucial sobre o futuro do país dentro da União Europeia, os saques nos bancos da Grécia bateram recorde.

Publicidade

Temendo o fechamento dos bancos no início da próxima semana, os gregos correram para tentar salvar suas economias nesta semana. Na segunda-feira, € 600 milhões foram retirados dos bancos. Ontem, os saques bateram recorde e chegaram a € 1,5 bilhão.

Le Figaro descreve que ainda não há pânico, mas é o que deve acontecer muito em breve, caso uma saída para impasse no qual está Atenas não seja encontrada a partir desta segunda-feira. A dez dias da data limite para o estabelecimento de um acordo sobre a dívida grega e o reembolso de € 1,6 bilhão ao FMI, a preocupação aumenta.

Qual é a solução?

Diante da evidente incapacidade de pagar a dívida e o possível anúncio da falência do país no dia 1° de julho, qual é a saída para o primeiro-ministro Alexis Tsipras?, interroga o jornal Libération. O diário traz uma matéria em que revela que os planos de ajuda das instituições internacionais no país tinham o objetivo apenas de salvar os bancos estrangeiros. A informação foi anunciada por uma comissão encarregada pelo parlamento grego de fazer uma auditoria das finanças do país.

Libé questiona se Tsipras poderia utilizar essa conclusão da comissão para pedir a anulação da dívida do país, um pedido já feito no dia 3 de março. A possibilidade não é descartada por George Mitralias, economista grego entrevistado pelo jornal e que acompanhou o trabalho da comissão. "Tsipras recebeu apoio dos quatro cantos do mundo: quando fala-se de dívida injusta, todos compreendem, todos são solidários", diz o otimista economista.

Decisões no último minuto

"Um fim de semana estressante", descreve o jornal Aujourd'hui en France. "Ninguém quer admitir que se prepara para isso, mas é só no que se pensa", publica em sua edição de hoje.

Para o jornal, os credores ainda não perderam totalmente as esperanças do fechamento de um acordo com os gregos. Uma fonte europeia que faz parte das negociações da dívida revelou ontem para o jornal que, com os gregos, "as decisões são tomadas sempre no último minuto". O problema, assinala o diário, é que cada lado aposta que o outro vai ceder. "Um jogo arriscado", conclui Aujourd'hui en France.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.