Acesso ao principal conteúdo
Haiti

Primeiras vítimas mortais do furacão Matthew

Comércio de rua no Haiti pouco antes da chegada do furacão Matthew
Comércio de rua no Haiti pouco antes da chegada do furacão Matthew REUTERS/Carlos Garcia Rawlins

 Pelo menos cinco pessoas morreram em Haiti e quatro na República Dominicana, devido ao furacão Matthew de categoria 4 na escala de Saffir Simpson, cujo índice máximo é 5.

Publicidade

O furacão Matthew, atingiu esta terça-feira (4/10) Haiti, o mais pobre país das Caraíbas, regularmente fustigado por severas intempéries, mas também a vizinha República Dominicana.

Na sua trajéctória em direcção ao norte estão nas próximas horas o leste da ilha de Cuba, Jamaica, Bahamas, podendo ainda a partir de quinta-feira atingir os estados americanos da Flórida, Georgia e Carolina do Norte e do Sul, onde foi já decretado o estado de emergência.

Este furacão retrogradado em tempestade tropical de categoria 4, que gera ventos superiores a 220 kms/hora, é o mais potente a atingir as Caraíbas desde o furacão Félix, em 2007.

HAITI

Pelo menos três vítimas mortais provocadas desde ontem pelo furacão Matthew, o mais poderoso a atingir o país desde 1963.

Foram evacuadas mais de 11 mil pessoas no sudoeste e noroeste de Haiti, que se encontram em abrigos precários e insuficientes, escolas e igrejas, enquanto outras recusam abandonar as suas casas temendo roubos, caso da Cité Soleil, o maior bairro de lata do país, onde segundo o edil 100 mil pessoas estão em perigo.

O país ainda não se recompôs do tremor de terra que em 2010 causou cerca de 200 mil mortos e deixou milhares de pessoas sem abrigo, grande parte delas ainda hoje a viver em tendas.

Desde ontem (3/10) a subida do nível das águas do mar inundou centenas de habitações na cidade de Les Anglais, provocou desabamentos de terras na capital Port au Prince e causou ruptura na rede eléctrica em Les Cayes.

As autoridades de Haiti temem que as chuvas torrenciais provocadas pelo furacão e a época das chuvas que se avizinha faça recrudescer a epidemia de cólera, introduzida na metade ocidental da Ilha de São Domingos pelos capacetes azuis da ONU.

A missão da ONU no país Minustah está a apoiar as autoridades para socorrer as populações atingidas, designadamente na evacuação de pessoas com dificuldades de mobilidade e no fornecimento de água potável.

CUBA

Os Estados Unidos evacuaram para a Flórida cerca de 700 pessoas entre os cerca de 5.500 funcionários e seus familiares que se encontravam da base naval norte-americana de Guantanamo.

Não está prevista a retirada dos 61 prisioneiros da prisão, que foram colocados ao abrigo face à chegada eminente do furacão Matthew, informou ontem o Pentágono.

Os serviços de protecção civil ordenaram a evacuação de 316 mil habitantes do leste de Cuba e o Presidente Raúl Castro avisou a população que é preciso preparar-se como se Matthew fosse duas vezes superior ao furacão Sandy de categoria 3, que assolou a ilha em 2012.

O conselho eleitoral de Haiti anunciou esta segunda-feira que apesar do furacão se mantêm as eleições gerais agendadas para o próximo domingo.

JAMAICA

Já se registaram as primeiras inundações e as autoridades alertaram para uma tempestade de intensidade equivalente à do furacão Gilbert de categoria 5 que causou 40 mortos na ilha e enormes danos materiais em 1988.

O primeiro ministro Andrew Holness advertiu que o país está muito mais bem preparado do que na altura.

selfpromo.newsletter.titleselfpromo.newsletter.text

selfpromo.app.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.