Acesso ao principal conteúdo
Guiné-Bissau

José Mário Vaz combina acordo para segunda volta

José Mário Vaz, Presidente cessante e candidato às presidenciais na Guiné-Bissau. Comício em Niombo, 22 de Novembro de 2019.
José Mário Vaz, Presidente cessante e candidato às presidenciais na Guiné-Bissau. Comício em Niombo, 22 de Novembro de 2019. ANDRE KOSTERS / LUSA

José Mário Vaz, chefe de Estado cessante de Guiné-Bissau e um dos 12 candidatos às eleições presidenciais deste domingo, admitiu que um grupo de candidaturas “está-se a combinar para celebrarem um acordo” no caso de uma segunda volta.

Publicidade

O presidente cessante da Guiné-Bissau e candidato à sua própria sucessão, José Mário Vaz, admitiu, esta sexta-feira, que um grupo de candidaturas “está-se a combinar para celebrarem um acordo” no caso de uma segunda volta.

Está-se a combinar, um grupo de candidaturas de partidos políticos, para celebrarem um acordo para o caso de um nós passar à segunda volta os outros apoiarem”, afirmou José Mário Vaz à agência Lusa, apesar das múltiplas tentativas da RFI para o entrevistar terem ficado sem resposta.

O candidato não especificou qual a aliança que se “está a combinar” no caso de uma segunda volta.

Na mesma entrevista à agência de notícias portuguesa, José Mário Vaz disse estar ciente que não haverá vencedor logo à primeira volta.

Talvez a única pessoa que disse que vai vencer na primeira volta é o candidato adversário, o candidato do PAIGC, que esteve em Portugal e disse a toda a gente que ganharia na primeira volta, mas quem viu esta campanha percebe que ninguém tem condições de vencer na primeira volta”, declarou.

selfpromo.newsletter.titleselfpromo.newsletter.text

selfpromo.app.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.