Acesso ao principal conteúdo
Guiné-Bissau

CNE desmente enchimento de urnas na Guiné-Bissau

Fachada de uma assembleia de voto em Bissau. 24 de Novembro de 2019.
Fachada de uma assembleia de voto em Bissau. 24 de Novembro de 2019. JOHN WESSELS / AFP

A porta-voz da Comissão Nacional de Eleições da Guiné-Bissau, Felisberta Vaz, desmentiu que tenha havido enchimento de urnas nas eleições presidenciais deste domingo na Guiné-Bissau. A CNE falou em forte participação eleitoral.

Publicidade

A porta-voz da Comissão Nacional de Eleições da Guiné-Bissau, Felisberta Vaz, desmentiu que tenha havido enchimento de urnas, depois das denúncias de alguns candidatos presidenciais.

Aqui na CNE não recebemos denúncia nenhuma, formalmente não temos denúncias. Quanto a compras de voto eu não tenho nada a dizer sobre isso, não recebemos denúncia. Agora, quanto à introdução dos votos nas urnas isso é extremamente falso. Não aconteceu. Em todo o território nacional, na Guiné, assim como na diáspora, não aconteceu situação de introdução de voto”, explicou Felisberta Vaz, reiterando que “é extremamente falso o que estão a dizer que há introdução de votos nas urnas”.

A também secretária-executiva adjunta da CNE afirmou que foi registado um incidente no círculo eleitoral 12 em Djabicunda, na região de Bafatã. A votação numa mesa daquele círculo eleitoral esteve interrompida depois de um fiscal de um partido ter considerado irregular a colocação nas urnas de votos antecipados.

Felisberta Vaz também falou em forte participação eleitoral.

Ouça aqui a reportagem de Neidy Ribeiro

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.