Acesso ao principal conteúdo
Guiné-Bissau

Pontapé de saída para campanha na Guiné-Bissau

A Guiné-Bissau vai a votos este domingo, 24 de Novembro.
A Guiné-Bissau vai a votos este domingo, 24 de Novembro. ANDRE KOSTERS / LUSA

Na Guiné-Bissau, começou,esta sexta-feira, a campanha eleitoral para a segunda volta das presidenciais de 29 de Dezembro. Dois antigos primeiros-ministros, Domingos Simões Pereira e Umaro Sissoco Embaló, estão na corrida à substituição de José Mário Vaz, o Presidente cessante.

Publicidade

Domingos Simões Pereira, apoiado pelo PAIGC, teve 40,13% dos votos na primeira volta das eleições presidenciais, a 24 de Novembro, enquanto Umaro Sissoco Embaló, apoiado pelo Madem-G15, obteve 27,65% dos votos. Ambos começaram a campanha, esta sexta-feira, em Bissau.

Durante os próximos quinze dias, até 27 de Dezembro, Umaro Sissoco Embaló e Domingos Simões Pereira vão ter que convencer os guineenses para que um deles seja o Presidente da Guiné-Bissau. Hoje, recomeçaram a caça aos votos.

Umaro Sissoco Embaló fez um passeio pelas ruas de Bissau, percorrendo alguns mercados onde teve banho de multidão, apertos de mão, beijos e abraços dos seus apoiantes. Ainda teve tempo para dizer que se sente “confiante a 100 por cento” na vitória, sobretudo pela mensagem de confiança que levará aos jovens e às mulheres para lhes dizer que está para breve a mudança no país.

Também falando para os jovens, Domingos Simões Pereira abriu a sua caça aos votos num encontro com universitários e jornalistas, numa conversa aberta em que o candidato suportado pelo PAIGC falou de tudo um pouco e respondeu às perguntas sem qualquer guião. Simões Pereira voltou a frisar o seu desejo de ser o Presidente de todos os guineenses, um Presidente que estará do lado do Governo na elaboração de estratégias que possam mudar a Guiné-Bissau nos próximos anos. Ainda hoje, Domingos Simões Pereira estará num comício em Bula, no centro do país. 

Este sábado, os dois finalistas das presidenciais guineenses rumam ao interior do país. Curiosamente, ambos estarão na região de Cacheu, o chamado bastião de José Mário Vaz, o Presidente cessante derrotado na primeira volta. Na mira dos dois, estarão certamente os cerca de 65 mil votos conquistados por Mário Vaz na primeira volta.

Oiça aqui a reportagem de Mussa Balde, o correspondente da RFI em Bissau.

Os apoios angariados nas últimas semanas

Nas últimas semanas, diferentes partidos políticos e candidatos à primeira volta foram manifestando o seu apoio aos respectivos candidatos.

Nuno Gomes Nabian, terceiro na primeira volta, assinou um acordo político com Umaro Sissoco Embaló, mas o seu partido, o APU-PDGB demarcou-se e assinou uma adenda ao acordo de incidência parlamentar que tem com o PAIGC desde as legislativas para apoiar Domingos Simões Pereira.

O acordo de Nabian tem também as assinaturas, como testemunhas, de Braima Camará, coordenador nacional do Madem-G15, que também apoia Umaro Sissoco Embaló, e Alberto Nambeia, presidente do PRS, que apoiou Nuno Nabian na primeira volta.

O Presidente cessante, José Mário Vaz, anunciou o seu apoio a Umaro Sissoco Embaló, tal como Carlos Gomes Júnior, antigo primeiro-ministro do país e ex-presidente do PAIGC.

Além do apoio da APU-PDGB e de vários partidos e movimentos, Domingos Simões Pereira tem o apoio de outros candidatos da primeira volta: Baciro Djá, antigo primeiro-ministro e líder da Frepasna, Vicente Fernandes, do Partido da Convergência Democrática, Iaia Djaló, do Partido da Nova Democracia, Idrissa Djaló, do Partido da União para a Mudança, e Gabriel Indi, do Partido Unido Social Democrático.

No próximo dia 29 de Dezembro, 760 mil eleitores guineenses são chamados às urnas para escolher o próximo Presidente da Guiné-Bissau.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.