Acesso ao principal conteúdo
Guiné-Bissau

Domingos Simões Pereira impugna resultados

Domingos Simões Pereira, candidato do PAIGC derrotado nas eleições presidenciais na Guiné-Bissau
Domingos Simões Pereira, candidato do PAIGC derrotado nas eleições presidenciais na Guiné-Bissau RFI

O candidato derrotado nas eleições da Guiné-Bissau, Domingos Simões Pereira, entregou esta sexta-feira ao Supremo Tribunal de Justiça o pedido de impugnação com base em alegadas provas de fraude na votação de domingo.

Publicidade

A candidatura de Domingos Simões Pereira quer agora que o Supremo Tribunal de Justiça esclareça as dúvidas.

A equipa de advogados de Domingos Simões Pereira não confia os resultados apresentados pela Comissão Nacional de Eleições que deram vitória à Umaro Sissoco Embaló.

Os advogados de Simões Pereira dizem que há muita discrepância entre os números de pessoas inscritas e habilitadas a votar e as pessoas que realmente acabaram por votar. Há quem fale numa discrepância na ordem de 30 mil votantes a mais em todo o território guineense.

Entre os argumentos para fundamentar as alegadas irregularidades, os advogados da candidatura de Simões Pereira juntaram elementos de indiciam “discrepância entre o número de inscritos para votar e o número de votantes”.

"A abundância de provas recolhidas pelo PAIGC está a mobilizar diversos profissionais de diferentes áreas de actuação para que seja incontestável a peça jurídica a ser apresentada", anuncia em comunicado o PAIGC.

O Presidente do PAIGC e candidato às Eleições Presidenciais 2019, Domingos Simões Pereira, esclarece as "anomalias que põem em causa a verdade eleitora", em Conferência de Imprensa no Hotel Azalai.

O Supremo Tribunal de Justiça confirma ter recebido o dossier de impugnação das eleições por parte da candidatura de Domingos Simões Pereira. O pedido de impugnação deu entrada no cartório do tribunal esta sexta-feira e será apreciado, na próxima semana, “para avaliar a sua justeza ou não” de acordo com a lei eleitoral guineense.

O Supremo Tribunal de Justiça tem agora 48 horas para notificar os interessados para se pronunciarem mediante contra-alegações e mais dois dias, depois das contra-alegações, para apresentar uma decisão definitiva, que é notificada às partes e à Comissão Nacional de Eleições (CNE).

A porta-voz da Comissão Nacional de Eleições, Felisberta Vaz, afirmou hoje que o órgão não recebeu nenhuma reclamação formal das duas candidaturas que disputaram a segunda volta das eleições.

O que a CNE recebeu ainda hoje é a notificação por parte do PAIGC, partido liderado por Domingos Simões Pereira e que apoiou a sua candidatura, do pedido de impugnação que o partido depositou no Supremo Tribunal de Justiça.

Em virtude desta diligência, a CNE aguarda pela decisão do Supremo Tribunal para depois anunciar os resultados definitivos das eleições. Mais explicações com Mussá Baldé.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.