Acesso ao principal conteúdo
Guiné-Bissau

PAIGC apresenta queixa crime contra CNE

José Pedro Sambú, presidente da Comissão Nacional de Eleições na Guiné-Bissau
José Pedro Sambú, presidente da Comissão Nacional de Eleições na Guiné-Bissau RFI

Continua a saga judicial sobre o processo eleitoral por parte de Domingos Simões Pereira. Depois do partido ter entregado um pedido impugnação dos resultados interposto no Supremo Tribunal de Justiça, agora é uma queixa-crime contra o presidente da Comissão das Eleições. A queixa-crime deu entrada no Ministério Público.

Publicidade

Para o PAIGC, partido que suportou a candidatura de Domingos Simões Pereira, há muitas razões  para responsabilizar judicialmente o presidente da Comissão Nacional de Eleições, José Pedro Sambú.

O partido diz que vai apresentar publicamente, em conferência de imprensa, as alegadas razões da queixa-crime contra José Pedro Sambú, mas para já o advogado Carlos Pinto Pereira afirma que o líder da CNE deve responder perante a justiça por alegados crimes cometidos durante o processo eleitoral.

Fontes ligadas ao processo indicaram à RFI que para o PAIGC a actuação da CNE “deixou muito a desejar” no que diz respeito ao apuramento final dos resultados da segunda volta das presidenciais.

O partido quer, por exemplo, que o Ministério Público investigue as denúncias que correm nas redes sociais em que se diz que o presidente da CNE teria sido levado para parte incerta dias antes de anunciar os resultados eleitoraise também por que razão apareceram carimbos diferenciados na autenticação das atas síntese com os resultados eleitorais.

José Pedro Sambu é juiz conselheiro do Supremo Tribunal de Justiça e a queixa-crime contra ele seguiu para o Ministério Público.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.