Acesso ao principal conteúdo
Convidado

Nelson Moreira: “Aprovar o Programa do Governo era importante para o povo guineense”

Áudio 08:44
Reunião da Assembleia Nacional Popular da Guiné-Bissau a 29 de Junho de 2020.
Reunião da Assembleia Nacional Popular da Guiné-Bissau a 29 de Junho de 2020. © rfi/Mussá Baldé

O Parlamento da Guiné-Bissau retomou trabalhos na segunda-feira com uma nova maioria parlamentar. 55 deputados em 102 votaram a favor do Programa do Governo.

Publicidade

Apesar do boicote do PAIGC, partido que venceu as últimas legislativas, foi aprovado o programa do Governo do primeiro-ministro, Nuno Nabian, visto que cinco deputados do PAIGC decidiram estar presentes e votar a favor, o que provocou a ira de outros deputados do partido.

Para Nelson Moreira, deputado do MADEM G-15, é uma nova era que começa na Guiné-Bissau.

Foi uma festa da Democracia porque o povo da Guiné é que está de parabéns. A democracia guineense é que venceu. Estávamos à espera de uma certa mobilização de todas as forças vivas da Nação, forças políticas para falar numa única voz e foi o que aconteceu. Há uma demonstração de uma maioria para poder resgatar o país das mãos do PAIGC”, admitiu o deputado.

Nelson Moreira também realçou a atitude dos cinco deputados do PAIGC que estiveram presentes no Parlamento, votando a favor do Programa do Governo, e criticou a postura do partido PAIGC: “Não é num momento como este, em que o país está numa situação tão complicada do ponto de vista político, que os deputados devem virar costas ao seu eleitorado. Aqueles deputados do PAIGC (ndr: cinco dissidentes) pensaram no país, porque o que está em causa não é Domingos, não é o PAIGC, não é o MADEM G-15, não é o PRS. O povo precisa de um alívio. Esses cinco deputados foram eleitos para defender o povo, para representar o povo. Eles pensaram no país e não no partido”, atirou.

O deputado do MADEM G-15 acredita que o PAIGC vai regressar aos trabalhos parlamentares e explica-nos porquê: “Se faltarem sessões parlamentares, o deputado pode perder o mandato. Eu penso que amanhã os deputados do PAIGC vão estar na Assembleia. Mas ninguém está disposto a isto, perder o mandato. Não é isso que nós queremos. O que nós queremos é união para ver o que é possível fazer. O debate parlamentar deve acontecer na Assembleia. Espero que a partir de amanhã os outros deputados tomem assento nas reuniões parlamentares”, acenou.

Nelson Moreira está seguro que a aprovação do Programa do Governo vai ser benéfica para todos os guineenses:O Programa foi votado com maioria. É um instrumento fundamental para as acções governativas. Espero que o Governo venha agora apresentar na Assembleia um orçamento à altura para cobrir as intenções contidas no Programa do Governo. Não basta só aprovar o Programa, o importante é a execução do Programa, é atacar o aspecto social como o sector da educação, da saúde, das infraestruturas, as energias e a agricultura para o desenvolvimento do país”, frisou o deputado, acrescentando que a pandemia de Covid-19 é um assunto primordial para o Governo:É o centro das atenções do Governo. Estamos a falar de uma situação que ninguém previa. O Governo, tendo em conta a fragilidade do tecido económico do país e sendo confrontado com essa situação, está a fazer tudo para fazer face a essa situação, para minimizar a situação do Covid-19. É uma situação preocupante, já estamos no sexto estado de urgência”, lembrou.

Por fim Nelson Moreira deseja ver um Programa orçamental à altura das intenções do Governo, mas lembra que isto só poderá acontecer com a ajuda dos parceiros do país: “Não é só deste Governo, é uma situação que já vem de longe. Penso que, com a ajuda dos parceiros como o FMI e o Banco Mundial, algumas situações poderão ser minimizadas”, concluiu o deputado do MADEM G-15.

CONVIDADO 30-06-2020 MM

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.