Acesso ao principal conteúdo
Guiné Bissau

Bureau Político do PAIGC não quer Baciro Djá

Domingos Simões Pereita, em plena campanha eleitoral das legislativas de 2014, que o PAIGC, ganhou.
Domingos Simões Pereita, em plena campanha eleitoral das legislativas de 2014, que o PAIGC, ganhou. RFI

O Bureau Político do PAIGC, terminou por volta das 3 horas locais de madrugada, a sua reunião, adoptou uma resolução contra a nomeação de Baciro Djá, como primeiro-ministro e pede ao Presidente para respeitar, a decisão da maioria que ganhou as eleições legislativas.  

Publicidade

Já era esperada a decisão do Bureau Político do PAIGC, reunido, em Bissau, desde a tarde desta sexta-feira, 21 de agosto, até esta madrugada, de sábado, 22 de agosto, sobre o caso "Baciro Djá".

Com o controlo do Bureau Político, o líder do PAIGC, Domingos Simões Pereira, primeiro-ministro, demitido, a 12 do corrente mês, pelo Presidente da República, José Mário Vaz, tinha a certeza, de que o nome de Baciro Djá, escolhido para ocupar o seu lugar de chefia do governo, seria vetado.

Assim, o Bureau Político do PAIGC, partido maioritário, condenou a decisão do Presidente da República, de nomear, no dia 20 de agosto, Baciro Djá, como primeiro-ministro, à revelia, do Partido, que já tinha feito a sua escolha, na pessoa de Domingos Simões Pereira, para, enquanto líder do Partido, voltar a ser nomeado, para o cargo, depois de ter sido demitido.

"O Bureau Político, aprovou um conjunto de resoluções, que no essencial, vai no sentido, da condenação da nomeação, feita pelo senhor Presidente da República, do primeiro-ministro, [Baciro Djá] que não observou, todos os ditames legais e constitucionais", declarou o líder do PAIGC, Domingos Simões Pereira, à imprensa, à  saída dessa longa maratona, que foi a reunião desse órgão do Partido.

O mesmo Domingos Simões Pereira, acrescentou ainda:

"O direito à formação do governo, resulta, dumas eleições legislativas, portanto, isso é uma competência exclusiva do PAIGC, e portanto, espero que o senhor Presidente da República, possa rever essa situação outorgando ao PAIGC, a comeptência de poder fazer uso, duma prerrogativa, que lhe é atribuída, por força, dumas eleições legislativas."

Oiça as declarações de Domingos Simões Pereira, recolhidas, pelo  nosso correspondente, em Bissau, Mussá Baldé.

Domingos Simões Pereira, Presidente do PAIGC

De notar, enfim, que foi suspensa a missão da CEDEAO, que deveria ter estado na Guiné Bissau, no dia em que o Presidente, José Mário Vaz, nomeou, Baciro Djá, primeiro-ministro. 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.