Acesso ao principal conteúdo
Guiné Bissau

Prestação fraca dos Palop nas Olimpíadas do Rio

Afro-lusófonos dos PALOP dizem adeus aos ogos Olímpicos Rio2016, este domingo, com a prestação da Guiné Bissau
Afro-lusófonos dos PALOP dizem adeus aos ogos Olímpicos Rio2016, este domingo, com a prestação da Guiné Bissau facebook.com/rio2016

Guiné Bissau é o último dos PALOP, que ainda disputa, este domingo, mais uma prova, a de luta, nos jogos olímpicos do Rio de Janeiro, no Brasil, onde o grupo-afro-lusófono, teve uma fraca performance.

Publicidade

O lutador Bedopassa Djombé, da Guiné Bissau, encerra este domingo, 21 de agosto, com a prova de luta, a participação do seu país, nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, no Brasil.

A Guiné Bissau, estava apostada no seu lutador, Augusto Midana, campeão africano, para arrecadar uma medalha, mas ficou gorado esse desejo, já que o lutador guineense, perdeu na sua prova desta sexta-feira, 19 de agosto.

Mas o que conta é a participação e esta experiência internacional, declarou à RFI, Renato Moura, chefe da delegação dos atletas da Guiné Bissau, a estas Olímpiadas do Rio, sublinhando que o seu país esteve representado nas modalidades do atletismo, luta e judo.

De notar que, Angola, Cabo Verde, S. Tomé e Príncipe e Moçambique já disseram adeus aos Jogos olímpicos do Rio, sendo que, os moçambicanos, estiveram a disputar este sábado, 20 de agosto, algumas provas, mas sem qualquer êxito.

Os moçambicanos Joaquim Lobo e Mussa Chamaune disputaram esta tarde a final "de consolação" ou pequena final em canoa dupla C2 1000 metros e ficaram em último depois de ontem terem falhado o acesso à final e de terem registado a pior prestação entre todos os concorrentes.

Isto depois de Lobo ter sido esta quarta-feira afastado da competição nas eliminatórias em canoa individual C1 200 metros ao ocupar o 6° lugar na bateria 2 e de Chamaune ter tido esta segunda-feira o mesmo destino na segunda meia-final de canoa individual C1 1000 metros ao ser 8° (15° no cômputo geral das meias-finais).

Nas águas da cidade maravilhosa, Moçambique, cuja delegação foi composta de seis desportistas, despediu-se dos Jogos e pode dizer-se que no cômputo geral foi uma participação deveras discreta. Além dos dois canoístas, estiveram presentes no Rio dois nadadores, um velocista e um judoca.

Jannah Sonnenschein não passou das eliminatórias dos 100 metros borboletas ocupando o 7º lugar na série 2 (39º no total das eliminatórias) ao passo que Igor Mogne também não teve melhor sorte sendo 1º na série 2 mas 45º das eliminatórias em 100 metros livres. No judo, Marlon Acácio foi afastado no primeiro combate da categoria -81 quilos.

O mais experiente de todos, o corredor Kurt Couto constitui a desilisão moçambicano atendendo a que era o único que acalentava esperanças.

Na sua quarta Olimpíada, Couto não repetiu a presença na meia-final obtida em Londres2012 e ficou-se pelas eliminatórias nos 400 metros barreiras.

Esta segunda-feira, o velocista moçambicano foi 6º na série 5 da 1ª fase e apesar de não ter conseguido fazer melhor tempo do que o de Londres em 2012 conseguiu a sua melhor marca da temporada, ficando com o 28º tempo das eliminatórias.

 

 

 

 

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.