Acesso ao principal conteúdo
Guiné-Bissau

Baciro Djá: "Bubo Na Tchuto vai voltar a Bissau"

Baciro Djá, primeiro-ministro da Guiné-Bissau
Baciro Djá, primeiro-ministro da Guiné-Bissau SIA KAMBOU / AFP

O primeiro-ministro Baciro Djá acredita que o ex-chefe de Estado-Maior da Armada da Guiné-Bissau vai voltar brevemente ao país. Bubo Na Tchuto foi condenado, ontem, a quatro anos de prisão nos Estados Unidos.

Publicidade

O primeiro-ministro guineese disse hoje que “É uma responsabilidade do Governo da Guiné-Bissau velar pelos seus cidadãos e eu tenho a certeza absoluta que este combatente da liberdade da pátria retornará ao país, mais tarde ou mais cedo”. Baciro Djá reagia assim à condenação do ex-chefe de Estado-Maior da Armada da Guiné-Bissau a quatro anos de cadeia, dos quais já cumpriu três, nos Estados Unidos.

A sentença foi anunciada ontem ao fim do dia, num Tribunal de Manhattan pela voz do juiz Richard Berman. O almirante foi condenado a quatro anos de prisão depois de ter chegado a um acordo com a justiça norte-americana e de se ter declarado culpado em Maio de 2014.

Bubo Na Tchuto, segundo a acusação é culpado de tráfico de droga e teria recebido um milhão de dólares por cada tonelada de cocaína. 

Detenção de Bubo Na Tchuto

O caso remonta a 3 de Abril de 2013, quando o contra-almirante Bubo Na Tchuto pensava que tinha um encontro com um cartel de droga sul-americano de traficantes que procuravam sociedade para fazer transitar a cocaína via Bissau. Mas na realidade tratavam-se de homens da agência anti-droga norte-americana que o caputaram a bordo de um Iate em alto mar, segundo a versão que foi dada na altura, tendo sido então transferido para os Estados Unidos via Cabo Verde.

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.