Acesso ao principal conteúdo
Guiné-Bissau

Guiné-Bissau: fim do sonho para os "Djurtus"

Zezinho, capitão dos "Djurtus"
Zezinho, capitão dos "Djurtus" RFI/Marco Martins

 "Djurtus" da Guiné-Bissau eliminados do CAN após a derrota este domingo (22/01) em Franceville por 2 bolas a 0 face ao Burkina Faso.

Publicidade

Acabou o sonho mas ficou a esperança e o renovar do orgulho nacional proporcionado pelos "Djurtus" nesta que foi a primeira participação da Guiné-Bissau na fase final da Taça das Nações Africanas em futebol.

O sentimento geral entre os guineenses é de que afinal o país também pode competir com os maiores, uma vez que esteve entre as 16 melhores selecções africanas de momento, no entanto, muitos adeptos afirmam que para que os "Djurtus" possam almejar a melhores resultados será preciso muita coisa.

Desde logo, a organização e um investimento financeiro robusto na selecção de futebol por ser o único elemento aglutinador dos guineenses, profundamente divididos pela política.

O CAN do Gabão colocou durante os três jogos que a Guiné-Bissau realizou, muita gente nas ruas sobretudo em Bissau, viu-se muita cor, pessoas com camisolas, bandeiras e cachecóis, houve até gente que andou coberta dos pés à cabeça com artefactos simbolizando a bandeira nacional.

Houve festas nas ruas. Uma empresa de venda de bebidas alcoólicas proporcionou aos adeptos uma fanzone onde se podia ver jogos em ecrãs gigantes, o que também foi uma novidade.

Nos festejos do primeiro jogo contra o Gabão, que culminou no empate a uma bola, três pessoas perderam a vida na Guiné-Bissau, mas mesmo assim os guineenses nunca perderam a fé de que a qualificação para os quartos-de-final era possível, mas na realidade o sonho terminou diante dos Burkinabes.

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.