Acesso ao principal conteúdo
Guiné-Bissau

A droga novamente em questão na Guiné-Bissau

Arquipélago dos Bijagós, Guiné Bissau
Arquipélago dos Bijagós, Guiné Bissau Dietmar Pabe

Várias instâncias nacionais e internacionais têm vindo a público denunciar o recrudescer do narcotráfico na Guiné-Bissau, tendo sido agora a vez do director da Interpol avisar sobre os perigos que pairam sobre o país, designadamente sobre as ilhas dos Bijagós.

Publicidade

De acordo com Martinho Camará, director da agência da Interpol na Guiné-Bissau, há sérios riscos de uma das ilhas dos Bijagós passar a ser controlada pelos narcotraficantes para a instalação de bases de retaguarda para acções criminosas, aproveitando-se da vulnerabilidade do país em termos de meios de controlo.

O director da agência da Interpol na Guiné-Bissau disse ainda que de há uns tempos a esta parte tem sido visível sobretudo em Bissau a presença de viaturas de alta cilindrada de origem duvidosa, sendo que algumas dessas viaturas foram roubadas noutros países. Daí que na óptica de Martinho Camará é necessário o reforço da cooperação entre as várias forças policiais nacionais e estrangeiras para enfrentar o tráfico de droga e a criminalidade organizada na Guiné-Bissau, um problema recorrentemente denunciado há vários anos em relatórios de diversas entidades, designadamente da ONU.
Mais explicações com Mussa Baldé.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.