Acesso ao principal conteúdo
Guiné-Bissau

"Manecas" dos Santos ouvido pela justiça guineense

Coronel Manuel dos Santos
Coronel Manuel dos Santos

O coronel Manuel dos Santos, "Manecas", foi ouvido pelo Ministério Público sobre as suas afirmações segundo as quais "estaria iminente um golpe de estado na Guiné-Bissau".

Publicidade

As declarações foram proferidas por Manuel dos Santos numa entrevista dada ao Diário de Notícias, a 27 de Abril, em casa em Bissau e faziam referência ao facto do país estar na iminência de um golpe de Estado; "estou a alertar para um caso que poderá acontecer. Se quisesse que acontecesse um golpe de Estado não denunciava a situação".

Acompanhado pelo seu advogado, Manuel dos Santos foi ouvido como "denunciante" e afirmou que ficado tudo esclarecido e "que o assunto morre por aqui. A entrevista e o meu depoimento correu bem, foram educados. Reafirmei o que já tinha afirmar e acabou", descreveu "Manecas".

A defesa revelou que não há qualquer medida de coasão, apesar do Procurador-Geral Sedja Man ainda não se ter pronunciado sobre o assunto.

"Manecas" dos Santos, 74 anos, é membro do Bureau Político do PAIGC, desempenhou no passado vários cargos ministeriais.

O Partido Africado da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) afirmou, numa nota de imprensa, que a notificação do seu dirigente, Manuel dos Santos "Manecas", pelo Ministério Público, para além de ser um grave atentado à liberdade de opinião e de exercício de cidadania pode ser considerada ainda como “um abuso de autoridade, servilismo e de defesa de interesses mesquinhos e pessoais ou de grupo”.

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.