Acesso ao principal conteúdo
Guiné-Bissau

Comércio guineense atrai imigrantes para o país

A principal comunidade imigrada na Guiné-Bissau é constituída por indivíduos da Guiné Conacri. A informação consta do estudo realizado pelo Instituto Nacional de Estudos que refere que a escolha se deve ao facto do país ser atractivo para o comércio.

Publicidade

O estudo das dinâmicas migratórias na Guiné-Bissau refere que dos cerca de 40 mil imigrantes registados no país, 35 mil são cidadãos oriundos de países da África Ocidental.

O estudo foi coordenado por Manuela Mendes, investigadora no Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas (INEP) que se baseou nos dados do recenseamento realizado em 2009.

De acordo com o estudo, 54% dos imigrantes que estão no país são originários da Guiné-Conacri, o Senegal vem logo a seguir com 24%.

"Os principais emigrantes são provenientes da Guiné-Conacri. Segundo o estudo procuram a Guiné-Bissau porque (...) é um país atractivo. Os nativos guineenses não têm a cultura de vender, enquanto para os outros países o comércio é algo de tradição", salientou Manuela Mendes.

A investigadora Manuela Mendes adiantou também que as comunidades imigradas na Guiné-Bissau estão perfeitamente integradas, o que não quer dizer que não existem conflitos com os guineenses.

No entanto, o estudo do INEP não analisou esse aspecto em concreto.

O governo encomendou o estudo para promover a integração dos emigrantes oriundos da África Ocidental no país.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.