Acesso ao principal conteúdo
Guiné-Bissau

Bissau : "Embaló dirige país contra crianças"

Crianças
Crianças ©Igor Strauss

A Comissão Nacional dos Direitos Humanos lamentou as afirmações do primeiro-ministro guineense em mandar prender crianças talibés encontradas a mendigar na Guiné-Bissau.

Publicidade

A advogada guineense Rute Monteiro afirma que a frase de Umaro Sissoco Embaló foi infeliz e condena a exploração de trabalho infantil.

Questionada sobre o facto de haver possibilidade de combater esta forma de exploração infantil, Rute Monteiro responde que sim "se houver vontade porque as crianças estão na rua. É uma questão de as ir procurar e de criar centros onde podem ser acompanhadas em vez de as deixar na rua e que, por isso, estão a incomodar e que as vamos prender e mandá-las para as ilhas".

Esta semana, o primeiro-ministro da Guiné-Bissau deu ordens ao ministro do Interior para prender e mandar para as ilhas qualquer criança ou jovens apanhados a pedir esmola no país, nomeadamente jovens talibés.

Umaro Sissoco Embaló disse que é uma vergonha que os pais mandem os filhos "para mendicidade pelas ruas em nome do ensino do Islão".

"Isto é o nível do primeiro-ministro que temos, que dirige um país voltando-se contra crianças. Acho que ele não tinha ideia do que estava a dizer. Foi uma frase infeliz. Ele diz que é muçulmano portanto ele sabe que isto é cultural. Se estas crianças são crianças talibés ele sabe que isto é uma questão de cultura religiosa. Porquê insurgir-se contra as crianças?" questionou a advogada Rute Monteiro.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.