Acesso ao principal conteúdo
Guiné-Bissau

Guiné-Bissau: Recenseamento arranca sem 'kits'

Assembleia de voto em Bissau. 13/04/18
Assembleia de voto em Bissau. 13/04/18 SEYLLOU / AFP

Aristides Gomes anunciou hoje a abertura oficial do recenseamento eleitoral. Todavia o material necessário para o registo biométrico ainda não está disponível.

Publicidade

O primeiro-ministro da Guiné-Bissau, abriu oficialmente, esta quinta-feira o recenseamento eleitoral para as eleições legislativas, previstas para 18 de Novembro de 2018. Uma abertura simbólica, pois na prática o recenseamento não pode ser iniciado por falta de material.

Aristides Gomes, na direcção-geral do Gabinete Técnico de Apoio ao Processo Eleitoral, sublinhou que o processo de preparação das legislativas de Novembro tem sofrido dificuldades “inerentes a um Governo que não tem o controlo efectivo de todos os parâmetros” da organização do sufrágio.

O chefe do Governo guineense sublinhou que “virtude desse carácter aleatório”, neste momento, o país ainda não dispõe “de todos os 'kits' necessários para o início do recenseamento eleitoral".

A Nigéria emprestou 300 'kits' à Guiné-Bissau, todavia ainda não chegaram ao país devido a questões logísticas. Por outro lado, Timor-Leste destacou uma equipa que vai estar na Guiné-Bissau durante três meses e Cabo Verde vai emprestar 'kits' de registo biométrico para que Bissau possa avançar com o recenseamento.

O recenseamento eleitoral vai decorrer até 23 de Setembro de 2018.
Na cerimónia oficial de lançamento do recenseamento para as eleições legislativas, Aristides Gomes avançou igualmente que vai propor à Assembleia Nacional Popular a criação de um “dispositivo jurídico” que imponha ao executivo a contribuição anual para um fundo “que permita à Guiné-Bissau realizar futuras eleições com os nossos próprios meios”.

Esta quinta-feira, também a ONU indicou que a Guiné-Bissau está estável e que as eleições legislativas serão realizadas a 18 de Novembro, conforme previsto. A garantia foi dada José Viegas Filho, representante do secretário-geral da ONU na Guiné-Bissau, que hoje se encontrou com o chefe de Estado, José Mário Vaz.

Com a colaboração de Mussá Baldé, correspondente em Bissau.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.