Acesso ao principal conteúdo
Guiné-Bissau

Guiné-Bissau: recenseamento sem fim à vista

Kits de registo biométrico na Guiné-Bissau, em 2008.
Kits de registo biométrico na Guiné-Bissau, em 2008. GEORGES GOBET / AFP

O recenseamento na Guiné-Bissau vai prolongar-se até atingir o maior número possível de eleitores. O anúncio foi feito hoje pelo Governo guineense e vem contrariar o gabinete do primeiro-ministro que, na terça-feira, tinha anunciado um alargamento do prazo em 15 dias.

Publicidade

O recenseamento eleitoral para as eleições legislativas, ainda sem data marcada, vai assim prolongar-se até atingir o maior número possível de cidadãos eleitores.

Em comunicado o Governo explica que o que foi prolongado na terça-feira passada foi o “contrato” das pessoas que estão a fazer o recenseamento. Segundo o documento do gabinete do primeiro-ministro, Aristides Gomes, distribuído à imprensa, o recenseamento vai prolongar-se na perspectiva do Presidente do país, José Mário Vaz, para "atingir o maior número possível de potenciais eleitores".

As legislativas na Guiné-Bissau estavam inicialmente previstas para 18 de Novembro, mas dificuldades técnicas e financeiras levaram a atrasos no início do recenseamento, que acabou por ser prolongado.

Entretanto, José Mário Vaz, anunciou que só marcará a nova data das legislativas após o recenseamento estar completo.

Até esta sexta-feira, 23 de Novembro, estariam já recenseados cerca de 80% do total de potenciais eleitores.

Mussá Baldé, correspondente em Bissau

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.