Acesso ao principal conteúdo
Guiné-Bissau

Partidos pedem demissão de Ester Fernandes

Palácio Presidencial da Guiné-Bissau
Palácio Presidencial da Guiné-Bissau https://www.facebook.com/JOMAVpaginaoficial/

O chefe de Estado José Mário Vaz recebeu hoje os partidos políticos guineenses que contestam o processo de recenseamento eleitoral e exigem a demissão da ministra da Administração do Território.

Publicidade

Os partidos que consideram o recenseamento eleitoral de “fraudulento” estiveram, esta segunda-feira, reunidos com o Presidente José Mário Vaz, no palácio presidencial, para o informar das medidas que pretendem adoptar se nada for alterado.

As forças políticas falam “numa acção concertada” entre a ministra da Administração Territorial, o primeiro-ministro e uma empresa da Nigéria” que terá como objectivo “forjar” as eleições e dar vitória ao PAIGC nas próximas legislativas.

O PRS, o Madem-G15, a APU-PDGB e a UPG, publicaram uma carta aberta na qual exortam o Presidente José Mário Vaz a assumir as responsabilidades que passam, entre outras, pela demissão imediata da ministra da Administração do Território, Ester Fernandes.

O primeiro-ministro, Aristides Gomes também foi recebido no palácio pelo Presidente José Mário Vaz, assim como técnicos da administração eleitoral. Aristides Gomes foi dar conta do andamento do recenseamento e prestar esclarecimentos sobre as dúvidas que estão a ser levantadas pelos partidos.

De acordo com as autoridades o número de cidadãos eleitores recenseados já ultrapassou os 700 mil e o governo tem apelado a todos os cidadãos eleitores para fazerem o seu recenseamento para participarem nas eleições.

O chefe de Estado José Mário Vaz já anunciou que só marcará a nova data das eleições legislativas após o recenseamento estar completo.

Correspondência de Mussá Baldé

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.