Acesso ao principal conteúdo
Guiné-Bissau

Professores guineenses ameaçam com nova greve

Professores guineenses ameaçam com nova greve
Professores guineenses ameaçam com nova greve stux/Pixabay

Os três sindicatos dos professores entregaram hoje ao governo um pré-aviso que anuncia a paralisação laboral durante 16 dias úteis. Os docentes exigem, entre outros, o pagamento de salários em atraso desde 2003.

Publicidade

Os três sindicatos, SINAPROF, SINDEPROF e SIESE, entregaram hoje ao governo um pré-aviso que anuncia a paralisação laboral durante 16 dias úteis.

No documento de 19 pontos os docentes exigem, entre outros, o pagamento de salários em atraso desde 2003, publicação do estatuto de carreira de docente no Boletim Oficial.

Os três sindicatos exigem ainda ao executivo que passem a ser observadores em processos de recrutamento de novos professores, que que haja um subsídio de instalação aos professores colocados nas regiões e que as salas de aulas passem a ter o máximo de 35 alunos.

Os docentes avisam que se exigências não forem cumpridas, vão paralisar as aulas a partir da próxima quinta-feira, dia 14 de Fevereiro até 07 de Março.

Os três sindicatos de professores da Guiné-Bissau acusam o governo de não cumprir o acordo com a classe docente, que levou ao levantamento da greve em Dezembro de 2018.

Com as greves dos professores do ensino público, em vigor desde a abertura do ano lectivo, os alunos que se manifestaram na semana passada, prometem sair à rua se a greve for mesmo avante.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.