Acesso ao principal conteúdo
Guiné-Bissau

Guiné-Bissau: Braço de ferro entre Governo e Professores

Escola Agostinho Neto em Bissau.
Escola Agostinho Neto em Bissau. http://125ccemterrasdistantes.blogspot.com

Continua o braço de ferro entre os sindicatos dos professores das escolas públicas e o Governo quanto ao pagamento de salários em atraso. Hoje o Presidente José Mário Vaz chamou os alunos ao palácio para os tranquilizar em como vai se empenhar pessoalmente na busca de uma solução. Os alunos prometeram esperar pelas diligências do Presidente e também anunciaram que não vão mais fazer protestos de rua.

Publicidade

Para já as associações dos alunos das escolas públicas prometem não organizar protestos nas ruas, como aconteceram na sexta-feira passada.

É que o presidente da Guiné-Bissau, que recebeu esta quarta-feira representantes dos alunos, prometeu intervir no sentido de evitar que os professores iniciem a greve geral de 16 dias uteis anunciada para começar na quinta-feira, dia 16 de fevereiro e decorrer até dia 07 de março.

Tcherno Indjai, um porta-voz das associações estudantis disse que pelas promessas do Presidente José Mário Vaz a greve não irá acontecer e se assim for os alunos não irão voltar a sair às ruas em protestos como aconteceram na semana passada.

Entretanto, o primeiro-ministro, Aristides Gomes continua a garantir que os salários dos professores estão já a ser pagos e que já deu ordens para publicação ainda esta semana no Boletim Oficial do estatuto da carreira docente.

A questão agora que aflige aos alunos e aos pais é saber se os sindicatos mesmo com isso tudo vão mesmo para greve.

Mais pormenores com o nosso correspondente, Mussá Baldé.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.