Acesso ao principal conteúdo
GUINÉ-BISSAU

Guiné-Bissau: resultados eleitorais na quarta-feira

Felizberta Moura Vaz, porta-voz da CNE da Guiné-Bissau, durante a sua comunicação do dia 11 de Março de 2019 em Bissau.
Felizberta Moura Vaz, porta-voz da CNE da Guiné-Bissau, durante a sua comunicação do dia 11 de Março de 2019 em Bissau. RFI/Liliana Henriques

A Comissão nacional de eleições reiterou que os resultados preliminares das eleições legislativas guineenses deste domingo devem ser anunciados só nesta quarta-feira, 13 de Março de 2019. Felizberta Moura Vaz, porta-voz da CNE, Comissão nacional de eleições, desmentia assim informações dando conta de um anúncio dos resultados já nesta terça-feira, 12 de Março.

Publicidade

A entidade organizadora do escrutínio adiantou ainda que o processo eleitoral decorreu de forma positiva mas sem dar estimativas cabais quanto à participação.

Por ora os resultados provenientes das Comissões regionais de eleições continuam a afluir à sede nacional, a da CNE.

Miguel de Barros, director executivo da ong Tiniguena, uma das organizações que esteve a monitorar o processo eleitoral, faz uma avaliação globalmente positiva do processo eleitoral.

As organizações internacionais presentes no terreno continuam a elogiar o civismo dos guineenses quanto ao desenrolar do processo de votação.

Compete exclusivamente à CNE, Comissão nacional de eleições, anunciar resultados eleitorais.

Sem esperar pelos dados da CNE alguns partidos já tomaram posicionamentos públicos.

Foi o caso da Frente patriótica de salvação nacional, Frepasna, chefiada pelo ex primeiro-ministro Baciro Djá.

Este assumiu, desde já, a derrota da sua força política afirmando que o único culpado pela sua não eleição para o parlamento foi ele próprio.

Concorreram às eleições deste domingo 10 de Março 21 forças políticas.

A CEDEAO, Comunidade económica dos Estados da África ociental, acaba de se pronunciar sobre o desenrolar do processo de votação que qualificou de "pacífica" e "transparente", tendo-se demonstrado satisfeita com a forma como tudo ocorreu.

O antigo primeiro-ministro do Burkina Faso, Kadré Désiré Ouédraogo, ex presidente da organização regional, assegura que a CEDEAO e demais organizações de observação internacional ficaram satisfeitas com o desenrolar do processo de votação.

"Estamos satisfeitos com a forma como decorreram estas eleições, bem como do comportamento dos agentes eleitorais, dos representantes dos partidos políticos e do conjunto da classe política da Guiné-Bissau.

Fizemos questão em dar os parabéns ao conjunto da classe política da Guiné-Bissau por estas eleições pacíficas e, segundo aquilo que vimos, numa transparência total.

Já pude trocar impressões com os chefes das demais missões de observação antes e após o escrutínio.

Penso que alguns dentre eles vão nas próximas horas e próximos dias dar-vos conta também das respectivas conclusões preliminares.

Mas, entretanto, e por ter debatido com eles posso garantir-vos que o conjunto dos chefes das missões de observação internacionais estão satisfeitos com a forma como decorreram as eleições."

Entretanto a sociedade civil através de Fernando Gomes, presidente do respectivo Departamento de monitoramento, fez já um balanço globalmente positivo do mesmo, mas com vários recados para prevenir eventuais situações de conflito.

 

Com a colaboração de Liliana Henriques, enviada especial à Guiné-Bissau.

selfpromo.newsletter.titleselfpromo.newsletter.text

selfpromo.app.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.