Acesso ao principal conteúdo
Guiné-Bissau

Guiné-Bissau: APU-PDGB em crise

Nuno Gomes Nabiam, candidato às presidenciais do 24 de Novembro.
Nuno Gomes Nabiam, candidato às presidenciais do 24 de Novembro. REUTERS/Joe Penney

O líder, igualmente candidato suportado pela APU-PDGB acaba de retirar a confiança política ao segundo vice-presidente do partido, Armado Mango, actual Ministro da Presidência do Conselho de Ministros. Nuno Gomes Na Biam promete medidas correctivas a 3 deputados do partido que agiram contra as orientações da Direcção, por terem votado o Programa do Governo.

Publicidade

A decisão do líder Nuno Na Biam foi anunciada esta tarde na cerimónia de tomada de posse da Directoria Nacional da Campanha Eleitoral para as presidenciais de 24 Novembro.

Fortes indicações para uma rotura interna, o líder da APU-PDGB, acaba de retirar a confiança política à seu segundo vice-presidente do Partido, até a clarificação da alegada atribuição de passaporte diplomático a um colombiano.

Nuno Gomes Na Biam que conferia posse a sua directoria nacional da campanha eleitoral para as presidenciais de 24 Novembro, pede celeridade ao processo com vista a esclarecer a veracidade dos factos. O caso das cerca de duas toneladas de droga apreendidas no passado mês de Setembro no âmbito da operação "Navarra" e durante a qual foram detidas cerca de 10 pessoas, entre as quais cidadão colombianos, continua em fase de averiguação.

Em relação aos deputados que segundo ele, agiram contra as orientações do partido no parlamento, o líder da APU-PDGB promete que o assunto será objecto de análise e tomada de decisão pelos órgãos do Partido. Três dos 5 deputados da APU votaram ao Programa do Governo de Aristides Gomes, com fundamentos no Acordo da Incidência Parlamentar e Governativa.

Mais pormenores com Aliu Candê.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.