Acesso ao principal conteúdo
Moçambique

Marcha contra ataques em Moçambique

Aldeia da Paz, Macomia, depois de ataque em Agosto de 20193
Aldeia da Paz, Macomia, depois de ataque em Agosto de 20193 MARCO LONGARI / AFP

Em Moçambique, centenas de pessoas da comunidade muçulmana marcharam na cidade de Tete contra os ataques armados que se registam no centro e norte do país. Entretanto, o líder da Renamo, Ossufo Momade, distanciou-se dos ataques e responsabilizou o Estado moçambicano e a junta militar.

Publicidade

O líder da RENAMO, principal partido da oposição, Ossufo Momade, distanciou-se dos ataques de que têm sido alvo os civis e a polícia nas províncias de Manica e Sofala, no centro de Moçambique. Ossufo Momade responsabilizou o Estado moçambicano e a junta militar liderada por Mariano Nhongo.

“Já não é da responsabilidade de Ossufo Momade porque quando o Nhongo vinha a público dizer que iria matar Ossufo Momade todos ficavam a rir. Hoje é aquilo que está a acontecer”, afirmou o líder da Renamo.

Para a o Presidente do Conselho das Religiões de Moçambique, o sheik Aminuddin Muhammad, os ataques que se sucederam ao Acordo de Paz e Reconciliação Nacional - assinado a 6 de agosto entre o Presidente da República e o líder da Renamo - resultam da falta de sinceridade entre os políticos.

Que haja sinceridade em todas as partes para que o diálogo traga resultados”, pediu Aminuddin Muhammad.

Neste domingo, centenas de pessoas marcharam na cidade de Tete, no centro do país, em repúdio aos ataques nas províncias de Manica e Sofala.

Oiça aqui a reportagem de Orfeu Lisboa.

selfpromo.newsletter.titleselfpromo.newsletter.text

selfpromo.app.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.