Acesso ao principal conteúdo
Moçambique

Frelimo recebeu 10 milhões de dólares no escândalo da dívida oculta

Maputo, capital de Moçambique e o espectro da dívida oculta
Maputo, capital de Moçambique e o espectro da dívida oculta Imagem de arquivo. ADRIEN BARBIER / AFP

Em Moçambique, o porta-voz da Frelimo no poder reagiu hoje às revelações de um agente do FBI segundo as quais o partido maioritário recebeu 10 milhões de dólares da empresa Privinvest no quadro do escândalo das dívidas ocultas. Esta reacção durge numa altura em que subsiste uma incógnita sobre a extradição do antigo ministro das finanças que continua na África do sul.

Publicidade

O partido no poder em Moçambique através do seu porta voz Caifadine Manasse reagiu pela primeira vez à revelação feita por um agente do FBI num tribunal norte-americano segundo as quais a Frelimo recebeu 10 milhões de dólares de uma subsidiária da empresa Privinvest.

A empresa está envolvida no escândalo das dívidas ocultas em quatro transações, efectuadas entre março e julho de 2014.

A reacção da Frelimo surge numa altura em que continua uma incógnita a extradição do deputado do partido e antigo ministro das finanças Manuel Chang para os Estados Unidos da America ou para Moçambique.

Detido na África do sul desde finais do ano passado, Manule Chang, está implicado no calote de 2 mil milhões de dólares contraídos sem o aval do parlamento para financiar as empresas publicas MAM, Proindicus e EMATUM. 

De Maputo, o nosso correspondente, Orfeu Lisboa.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.