Acesso ao principal conteúdo
Moçambique

Moçambique: Nova Democracia pede libertação dos membros detidos

Voto na escola primária Amílcar Cabral, na cidade da Beira. 15 de Outubro de 2019.
Voto na escola primária Amílcar Cabral, na cidade da Beira. 15 de Outubro de 2019. PATRICK MEINHARDT / AFP

Em Moçambique, o presidente do partido Nova Democracia diz continuar a lutar pela libertação dos seus 18 membros detidos em Gaza desde o dia das eleições gerais em Moçambique, a 15 de Outubro. Salomão Muchanga manifesta indignação contra a detenção que sublinha ser ilegal.

Publicidade

Já lá vão 31 dias desde a detenção de 18 membros do partido Nova Democracia. O presidente do partido, Salomão Muchanga, pede a libertação deste grupo, no qual há seis mulheres, e que está preso no estabelecimento penitenciário de Guijá, na província de Gaza, no sul de Moçambique, desde o dia das eleições gerais de 15 de Outubro.

Não houve eleições. Estão aí, perderam aulas, perderam tudo, os advogados não têm acesso a nada, ninguém diz nada e o sofrimento é total. Queremos manifestar a nossa mais profunda indignação perante esta situação que se vive no nosso país e lutamos. Temos de lutar”, declarou Salomão Muchanga.

Em comunicado, o Centro para a Democracia e Desenvolvimento denunciou, também, os maus tratos a que os 18 jovens da Nova Democracia detidos em Gaza estão sujeitos. A ONG fala em violação do direito fundamental de participação política e insta uma acção das autoridades moçambicanas sobre os detidos.

Oiça aqui a reportagem de Orfeu Lisboa.

selfpromo.newsletter.titleselfpromo.newsletter.text

selfpromo.app.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.