Acesso ao principal conteúdo
Moçambique

Renamo acusa presidente da Assembleia de violar a lei

António Muchanga, deputado da Renamo.
António Muchanga, deputado da Renamo. facebook.com/pg/Antônio-Muchanga

A Procuradoria-Geral da República ouviu três dos quatros deputados da Renamo apontados de serem os financiadores da auto-proclamada Junta Militar. O deputado António Muchanga acusa a presidente da Assembleia da República de não ter respeitado os trâmites legais, considerando os estatutos dos deputados.

Publicidade

À saída da audição, o deputado António Muchanga negou qualquer ligação com este grupo e acusa a presidente da Assembleia da República de não ter respeitado os trâmites legais, considerando os estatutos dos deputados.

A par de António Muchanga, foram também ouvidos a chefe da bancada parlamentar da Renamo Ivone Soares e o porta-voz do partido José Manteigas.

A Procuradoria-Geral da República ouviu três dos quatros deputados da Renamo apontados de serem os financiadores da auto-proclamada Junta Militar, um grupo dissidentes a quem as autoridades acusam de serem responsáveis pelos ataques armados nas províncias de Manica e Sofala, centro do país.

O antigo secretário-geral da Renamo, Manuel Bissopo, não compareceu à audição, num dia em que a polícia em Sofala anunciou a detenção de seis elementos pertencentes à auto-proclamada Junta Militar.

O porta-voz do comando provincial da Polícia, Daniel Macuácua, afirmou que quatro homens foram detidos, ontem, na estação de caminhos-de-ferro do distrito de Dondo, de um grupo de 12 supostos guerrilheiros da Renamo, e dois foram detidos nas suas residências, no distrito de Gorongosa.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.