Acesso ao principal conteúdo
Moçambique

Centro de Moçambique fustigado pelas inundações

Fotografia panorâmica de Buzi, no centro de Moçambique.
Fotografia panorâmica de Buzi, no centro de Moçambique. Orfeu Lisboa

Quase um ano depois de ter sido devastado pelo ciclone Idai, o centro de Moçambique está agora a sofrer com as inundações. As chuvas estão a causar estragos e a desalojar as populações nas regiões baixas da província de Sofala.

Publicidade

Ao telefone, a administradora do distrito de Buzi, Maria Roque, descreveu como preocupante a situação provocada pelo transbordo das águas do rio Buzi.

A situação derivada das chuvas afecta, até ao momento, cerca de mil famílias que estão a ser encaminhadas para os sete centros de trânsito abertos para a sua acomodação.

As autoridades governamentais ao nível do distrito garantem que estão a trabalhar para evitar mortes como consequência do transbordo das águas do rio Buzi, em Sofala.

A actual época das chuvas em Moçambique, de Outubro a Abril, matou 54 pessoas e afectou cerca de 65 mil, muitas com habitações inundadas, segundo dados do Instituto Nacional de Gestão de Calamidades.

O período chuvoso de 2018/2019 foi dos mais severos de que há memória: 714 pessoas morreram, incluindo 648 vítimas de dois ciclones (Idai e Kenneth) que se abateram sobre Moçambique.

Várias famílias foram resgatadas e transferidas para outros locais no âmbito do ciclone Idai, em Março de 2019, mas meses depois regressaram às zonas baixas. Esta semana voltaram a ser severamente atingidas por inundações depois de vários rios transbordarem devido à chuva forte, habitual nesta época do ano, mas mais severa do que habitualmente.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.