Acesso ao principal conteúdo
Moçambique

Ásia vai absorver recursos naturais de Moçambique

O gás moçambicano será canalizado para o mercado asiatico. O anúncio foi feito pelo novo presidente empresa moçambicana de Hidrocarbonetos ENH. Omar Mithá assumiu o cargo depois de ter sido exonerado pelo presidente da República do cargo de Vice-Ministro da Indústria e Comércio. 

Publicidade

O novo Presidente do conselho de administração da empresa nacional de hidrocarbonetos, Omar Mithá, disse que o mercado asiático será no futuro a saída para viabilizar os projectos de gás em Moçambique

"Estamos conscientes de qu apesar da quebra da procura nos país ocidentais, a conomia mundial tem sido sustentada nos últimos anos pelas economias do oriente -a China, a Coreia do Sul e a India-. Esta sustentação da economia global implicará necessariamente a procura de produtos energéticos".

Omar Mithá assumiu as pastas, menos de vinte e quatro horas, depois de ter sido exonerado pelo presidente da República, Filipe Nyusi, do cargo de vice-ministro da Indústria e Comércio.

A bacia do Rovuma em Cabo Delgado, situada no norte de Moçambique, conta actualmente com seis áreas de concessão para a exploração de hidrocarbonetos, apresentando um potencial de cerca de 180 biliões de pés cúbicos de gás natural a ser extraído a partir de 2020 conjuntamente pelos grupos norte-americano Anadarko Petroleum e italiano ENI.

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.