Acesso ao principal conteúdo
MOÇAMBIQUE

Moçambique: Líder da Renamo sai do mato

Líder da Renamo, Afonso Dhlakama
Líder da Renamo, Afonso Dhlakama Cristiana Soares/RFI

Depois de vários adiamentos devido a questões de segurança, o líder da Renamo, Afonso Dhlakama, saíu das matas, um acto testemunhado por mediadores nacionais e jornalistas na província central de Sofala.Recorde-se que Afonso Dhlakama não era visto após os confrontos entre a sua guarda e as tropas governamentais ocorrido a 25 de Setembro último em Gondola na província de Manica, no centro de Moçambique.  

Publicidade

O líder do movimento da perdiz promete continuar a sua luta.

Os mediadores das rondas negociais tinham-se deslocado para Manica, e posteriormente, para Sofala, na expectativa deste desfecho.

O governo moçambicano alegava pretender reatar negociações com o líder da Renamo, este porém recusara o projecto de um encontro com o chefe de Estado.

E isto antes do agudizar da tensão político-militar cujo auge ocorreu a 25 de Setembro em Manica onde morreram, oficialmente, 23 pessoas.

Em causa continua a recusa da Renamo dos resultados das últimas eleições gerais, ameaçando assumir o controlo das províncias do centro e norte onde alega que teria ganho o escrutínio.

E isto após a recusa pelo parlamento moçambicano do seu projecto de criação de autarquias provinciais.

Confira aqui o relato do terreno com o nosso correspondente em Moçambique, Orfeu Lisboa, incluindo as primeiras declarações do líder da Renamo.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.