Acesso ao principal conteúdo
Moçambique

Moçambique reduziu de metade o seu índice de fome

43% das crianças com menos de 5 anos vivem em desnutrição crónica em Moçambique
43% das crianças com menos de 5 anos vivem em desnutrição crónica em Moçambique RFI/ Liliana Henriques

Em vésperas do dia internacional da alimentação celebrado todos os anos a 16 de Outubro, a FAO -Organização da ONU para a Alimentação e Agricultura- publicou esta quinta-feira em Maputo um novo relatório sobre a fome no mundo, um documento dando conta de nítidas melhorias em Moçambique.  

Publicidade

De acordo com a FAO, o índice de prevalência de fome em Moçambique passou de 56% para 24% no espaço de sensivelmente 20 anos, o país cumprindo deste modo um dos objectivos do milénio, embora o combate a fome continue a ser um desafio importante para Moçambique.

Ainda ontem, no quadro da abertura da Segunda Conferência Nórdico-Moçambicana, o Presidente Filipe Nyusi admitiu que os índices de pobreza e desnutrição são "inaceitavelmente elevados". O Chefe de Estado citou a este propósito dados da ONU referentes a uma taxa de desnutrição crónica em crianças com idades inferiores a cinco anos da ordem dos 43%.

Ao abordar em paralelo o índice de fome e a taxa de desnutrição em Moçambique, Castro Camarada, representante da FAO naquele país, considera que existe ainda muito caminho a percorrer.

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.