Acesso ao principal conteúdo
Moçambique

MDM critica comissão parlamentar

Lusa

O MDM criticou o presidente da comissão parlamentar que investigou sobre os supostos abusos de direitos humanos no centro do país e acusou Edson Macuácua de precipitação. Para Sílvia Cheia, deputada do Movimento Democrático de Moçambique, esta comissão nunca teve vontade de trazer a verdade à luz do dia.

Publicidade

O Movimento Democrático de Moçambique (MDM) critica o presidente da Comissão dos Assuntos Constitucionais, Direitos Humanos e de Legalidade de precipitação, pelo facto de Edson Macuácua ter apresentado à imprensa as suas conclusões sobre a investigação das alegações de abusos de direitos humanos no centro do país.

Esta segunda-feira Edson Macuácua, deputado da Frelimo, partido no poder, sublinhou a ausência de provas de existência de uma vala comum em Canda, distrito da Gorongosa. O mesmo considerou que a comissão verificou a existência 11 corpos debaixo da ponte, facto que configura uma violação dos direitos humanos.

Para Sílvia Cheia, deputada do MDM e a única deputada da oposição neste grupo de trabalho, a Comissão dos Assuntos Constitucionais, Direitos Humanos e de Legalidade não deveria ter apresentado as suas conclusões na medida em que as investigações não estavam encerradas. Sílvia Cheia acrescenta que a mesma Comissão nunca teve vontade de trazer a verdade sobre este assunto à luz do dia.

De relembrar que no final de Abril, vários jornalistas testemunharam e fotografaram 15 corpos espalhados entre os distritos da Gorongosa, província de Sofala, e Macossa, Manica.

Sílvia Cheia, deputada do MDM

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.