Acesso ao principal conteúdo
Moçambique

COP22: Moçambique, o país mais afectado por fenómenos climáticos

Parque Nacional da Gorongosa, 28 de Maio de 2016.
Parque Nacional da Gorongosa, 28 de Maio de 2016. JOHN WESSELS / AFP

Em 2015, o país mais afectado por fenómenos climáticos extremos foi Moçambique, com 351 mortes atribuíveis aos fenómenos extremos. A conclusão é do 12.º “índice anual dos riscos climáticos” elaborado pela ONG Germanwatch, um documento publicado na COP22 que decorre em Marraquexe.

Publicidade

Em 2015, o país mais afectado por fenómenos climáticos foi Moçambique, com 351 mortes atribuíveis aos fenómenos extremos. A conclusão é do 12.º “índice anual dos riscos climáticos” elaborado pela ONG Germanwatch, um documento publicado na conferência da ONU cobre o clima (COP22) que decorre em Marraquexe, em Marrocos.

No ano passado, Moçambique foi atingido por graves inundações na sequência de chuvas intensas com danos estimados em 500 milhões de dólares e consequências severas nas infra-estruturas e na agricultura e que levaram, nomeadamente, a surtos de cólera.

Samuel Mondlane, da organização moçambicana Justiça Ambiental, mostra-se preocupado com o aquecimento global do planeta e exige que os países ricos paguem a sua dívida climática.

Samuel Mondlane, Ambientalista

O mesmo relatório indica que quase metade dos Estados mais atingidos estão em África e que os países pobres são os mais expostos às tempestades, ondas de calor, inundações ou secas.

Entre os 10 países africanos mais afectados estão também Cabo Verde (8.º), Guiné-Bissau (9.º) e Angola (10.º).

A COP22 decorre até 18 de Novembro.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.