Acesso ao principal conteúdo
Moçambique

Filipe Nyusi, presidente moçambicano, em visita oficial ao Japão

Filipe Nyusi, Presidente de Moçambique.
Filipe Nyusi, Presidente de Moçambique. Miguel Martins/RFI

O chefe de estado moçambicano, Filipe Nyusi, iniciou hoje uma visita de três dias ao Japão, uma visita com alto teor económico.

Publicidade

O Presidente da República de Moçambique, Filipe Nyusi, inicia nesta segunda-feira e por três dias uma visita ao Japão, com uma forte componente económica revelou a Ministra da Energia e Recursos Minerais, Letícia Klemens.

A implementação do projecto agrícola, Prosavana, bastante contestado pelas comunidades locais das zonas abrangidas (Nampula, Zambézia e Cabo Delgado no norte do país), que envolve Moçambique, Brasil e o Japão, deverá ser outro assunto que o estadista moçambicano deverá abordar com o Primeiro-Ministro nipónico Shinzo Abe e com o Imperador Akihito.

De acordo com um comunicado da presidência da República de Moçambique, nesta deslocação que contempla ainda encontros com diversas entidades políticas, bem como participar no fórum empresarial Moçambique-Japão, Filipe Nyusi faz-se acompanhar pela esposa, Isaura Nyusi, pelos Ministros dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Oldemiro Balói, da Agricultura e Segurança Alimentar, José Pacheco, dos Recursos Minerais e Energia, Letícia Klemens, dos Vice-Ministros dos Transportes e Comunicações, Manuela Joaquim Rebelo, da Indústria e Comércio, Ragendra de Sousa, quadros da Presidência da República e de outras instituições do Estado.

A visita de 13 a 16 deste mês enquadra-se no âmbito das comemorações do quadragésimo aniversário das relações bilaterais entre Moçambique e o Japão.

Mais pormenores com o nosso correspondente, Orfeu Lisboa.

Correspondência de Orfeu Lisboa

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.